Centro de Pesquisa da Unitins em Formoso inicia experimento de consórcio de arroz com açaí para beneficiar pequenos produtores (Foto: CPAV)

Da Ascom/Unitins*

Os pesquisadores do Centro de Pesquisa Agroambiental de Várzea (CPAV), da Universidade Estadual do Tocantins (Unitins),  em Formoso do Araguaia, região sul do Tocantins, estão concluindo nesta semana o plantio das sementes de arroz para novos experimentos. Dentre as novidades neste plantio, estão adequações nos campos experimentais para melhorar o manejo da água de irrigação e um experimento consorciando o açaí com arroz.

O diretor de Pesquisa Agropecuária da Unitins, professor doutor Expedito Cardoso, explica que os 10 ensaios experimentais com arroz irrigado são voltados para o melhoramento genético (seleção e testes para novas variedades) e, nestes ensaios, estão sendo avaliadas dezenas de linhagens, avaliação de doses e eficiências de nutrientes como fonte de nitrogênio, avaliação de fungicidas para controle de doenças, eficiências de herbicidas e avaliação de quebra de resistência de plantas daninhas aos principais herbicidas utilizados nas várzeas tocantinenses.

Em relação ao consórcio entre as duas plantas, experimento focado no pequeno agricultor, o diretor fala que o açaí tem um grande potencial para várzeas tropicais e tende ser uma alternativa de renda pela extração do fruto e do palmito, tornando-se viável durante todo o ano.

– Neste projeto-piloto, entre as fileiras de açaí, será feito o cultivo de arroz e outras culturas anuais. Como o açaí inicia a produção após três anos, o pequeno produtor vai cultivando a área com essas culturas anuais. E o arroz é uma cultura que tem aptidão para ser cultivado em áreas de várzeas que em determinados períodos ficam saturadas ou inundadas. As condições estão ótimas tanto para o açaí quanto para o arroz.

As mudas de açaí usadas no experimento foram produzidas no viveiro do Complexo de Ciências Agrárias (CCA) da Unitins, em Palmas.

O reitor da Unitins, Augusto Rezende, destacou o potencial da área do CPAV que tem cerca de 100 hectares e onde são feitas pesquisas em busca de sementes bem adaptadas e com alta produtividade para o Estado.

– A Unitins, enquanto centro de pesquisa, sente-se bastante satisfeita por colocar nosso pesquisador e nosso acadêmico em contato com essas pesquisas. A Unitins cumpre seu papel de instituição que viabiliza e incentiva a pesquisa, a produção e incentiva também a essas parcerias, com instituições públicas e privadas, para que essas cultivares sejam estudadas, contribuindo para o desenvolvimento de todo o Tocantins.

Experimentos com arroz irrigado e equipe de pesquisadores (Foto: CPAV)

Área

Os experimentos em desenvolvimento nesta safra juntos totalizam uma área de aproximadamente 30 mil metros quadrados para o arroz irrigado e mais 15 mil metros quadrados para agrofloresta (açaí +arroz). Os resultados dos trabalhos são apresentados, anualmente, por meio de uma mostra de pesquisa nas cidades de Palmas, Formoso do Araguaia e Lagoa da Confusão.

Os trabalhos de pesquisas desenvolvidos no centro envolvem parceiros, como a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e a Universidade Federal do Tocantins (UFT).

Queridinho dos brasileiros, a produção de arroz no Brasil ultrapassa as 15 milhões de toneladas em casca. O Tocantins é o terceiro maior produtor nacional.

*Com edição de Cerrado Rural Agronegócios