SHARE

Dentro de qualquer tipo de produção animal, monitorias sanitárias são de grande importância como ferramenta de auxílio em diagnósticos e avaliação de como está a dinâmica de infecção de um determinado agente dentro de uma unidade de produção. Na suinocultura, por ser uma atividade intensiva e com características de avaliação de população, essas monitorias passam a ter um papel ainda mais importante, por permitir que sejam avaliados e identificados possíveis pontos de melhoria e adequações na qualidade sanitária do plantel.

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Para tanto, dentro das monitorias sanitárias, em relação à investigação relacionada à circovirose, as mais utilizadas na prática são as monitorias clínicas, patológicas e laboratoriais. No entanto, alguns questionamentos são importantes para a definição de quais os melhores tipos de análises a serem realizadas como auxílio de avaliação de quadros suspeitos de circovirose.

Para a definição de quais amostras devem ser coletadas é importante levantar algumas informações, como:

Há suspeita de quadros subclínicos e/ou clínicos de circovirose? Em qual fase mais específica?

Nenhuma suspeita específica, tratando-se apenas de uma monitoria para verificar a dinâmica de infecção de PCV2?

Há suspeita de falha vacinal por imunidade passiva de leitões no momento de vacinação deles?

Há suspeita de problemas reprodutivos (mumificados e/ou natimortos) já correlacionados à circovirose?

Qual vacina atualmente utiliza?

Qual protocolo de vacinação utilizado na granja?

Vacina leitoa/marrã?

Vacina matrizes pré-parto (próximo aos 90 dias de gestação)?

Vacina matrizes junto com o reforço da PLE por volta dos 5 a 10 dias pós-parto?

Qual data de vacinação dos leitões e número de doses?

Depois de alguns desses questionamentos, é possível definir alguns pontos:

Problema

Quais  possíveis análises

Suspeita de casos subclínicos e/ou clínicos PCV2 ou PCVAD

Perfil virêmico (qPCR)

Sorologia (ELISA)

Histopatologia + IHQ

Monitoria para verificar a dinâmica de infecção pelo PCV2

Perfil virêmico (qPCR)

Sorologia (ELISA)

Suspeita de falha vacinal por imunidade passiva de leitões no momento da vacinação

Sorologia (IPMC)

Suspeita de problemas reprodutivos relacionados ao PCV2

Perfil virêmico (qPCR)

Histopatologia + IHQ

A definição de qual problema está presente na granja para qual a definição do tipo possível de análise a ser realizado, está diretamente relacionada à realização de outros tipos de monitorias, como a clínica, em que se identifica e avalia os animais suspeitos, bem como a monitoria patológica, em que se faz a necropsia e coleta de material para a realização da monitoria laboratorial.

Este conjunto de ações é de fundamental importância para que seja possível ter uma maior assertividade no diagnóstico do agente em questão e para que haja, o mais rápido possível, a reversão dos quadros clínico e sanitário, permitindo aos animais o retorno de sua produção a patamares esperados dentro da realidade de produção.

download (1)*É especialista técnica em biológicos na Ouro Fino Saúde Animal

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY