Setores públicos e privados ligados a piscicultura no Tocantins reuniram-se, nesta terça-feira, 12, na Secretaria de Estado  de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Turismo e Cultura (Seden). Em pauta, a organização e promoção e fomento desta cadeia no Estado. Na oportunidade, foi apresentada uma proposta de plano de ações de fortalecimento do Arranjo Produtivo Local (APL)  da Aquicultura no Estado.

A partir da criação do grupo gestor, será possível identificar os problemas e encontrar as soluções para a consolidação e desenvolvimento da atividade. (Foto: Ascom/Seden)
A partir da criação do grupo gestor, será possível identificar os problemas e encontrar as soluções para a consolidação e desenvolvimento da atividade. (Foto: Ascom/Seden)

Durante a reunião, presidida pelo gerente de Arranjos Produtivos Locais da Seden, Marcondes Martins, juntamente com representantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Secretaria do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária (Seagro), Secretaria de Desenvolvimento Rural de Palmas (Seder) e representantes do frigorífico de peixe Piracema, foram discutidas as propostas para organização do Núcleo Gestor da Piscicultura de apoio ao APL da Piscicultura, onde também foram definidas ações prioritárias para o fortalecimento do setor.

De acordo com Marcondes Martins, ficou definido que a próxima etapa para formação do grupo gestor será a mobilização de outras instituições, produtores, e associação de pescadores para que componham o núcleo e possa ser formalizada a criação do grupo gestor.

– As ações para criação desse grupo vêm sendo construídas desde junho de 2015. Diversas reuniões foram realizadas para elaborar e apresentar o diagnóstico da cadeia produtiva da piscicultura, além das demandas do setor no Estado. A partir da criação do grupo gestor, será possível identificar os problemas e encontrar as soluções para a consolidação e desenvolvimento da atividade – disse o gerente, ressaltando que as ações do plano pretendem oferecer informações  e subsídios aos parceiros para apoiar e promover o desenvolvimento do APL da Aquicultura e Pesca do Tocantins.

De acordo com o plano de ações proposto pela Seden para promover o desenvolvimento da piscicultura no Estado, é necessária a agregação de valor, aumento de escalas de produção, da qualidade e da eficiência logística para garantir o acesso às oportunidades existentes do setor, além da necessidade de desburocratizar o sistema de licenciamento ambiental e o combate à entrada de produto clandestino.

A piscicultura é um dos setores do agronegócio que mais cresce no Tocantins. Além disso, o estado possui um grande potencial favorável à produção de peixes e uma enorme variedade de espécies, sendo bastante apreciadas no mercado. Entre os anos de 2000 e 201,1 o setor acumulou um crescimento da ordem de 833%, alcançando um total de 12.412 toneladas.

Segundo dados da Seagro, atualmente existem no Tocantins 37 colônias de pescadores com cerca de 2 mil empreendimentos, com produção de pescado ao ano em torno de 18 mil toneladas, e conta com quatro frigoríficos com certificado do Serviço de Inspeção Federal (SIF) e mais dois frigoríficos em fase de construção. O Tocantins ocupa a 15ª posição no Ranking Nacional na produção de pescado, com destaque para região sudeste do Estado.

(Fonte: Ascom/Seden)