Por Antônio Oliveira

Prosseguimos em viagem pelo Brasil que produz.  No segundo dia da turnê do Road Show de jornalistas e influenciadores de agronegócio, num total de 24 comunicadores de 11 estados brasileiros, visitamos, sob o apoio da Vetoquinol Saúde Animal, a simpática, bem cuidada e produtiva Fazenda Cachoeira, do produtor Bernhard Kiep e gerenciada por seu fiel e competente escudeiro, do mundo moderno – diga-se, Itamar Goulart,  no município de Itaberá, na região oeste do estado de São Paulo.

Com pouco menos de 3 mil hectares, a Cachoeira é um bom exemplo de gestão, sucessão familiar, diversificação e produtividade. Dispõe de 180 hectares de área irrigada por pivô central, sendo 110 de agricultura de grãos – soja, milho, sorgo e feijão -, e 70 de pasto. Somando a área de sequeiro, são 410 hectares. No pasto, num panorama de encher os olhos, contracenando com a agricultura – mas cada um no seu quadrado, literalmente -, 2.100 cabeças de gado P.O., 1.200 matrizes e 1.400 cabeças em cria e recria.

Bernard Kiep explica seu sistema de produção para os comunicadores (Foto: Gabriel Muniz/Texto)

Bernard Kiep, que é formado em administração de empresas, com especialização e Havard, abriu o encontro entre produtores de alimentos e insumos e produtores de informação com uma bem didática palestra sobre sua dinâmica de produção e de gestão do seu negócio. Conforme ele, a taxa de prenhez na Cachoeira é de 84% e a taxa de desfrute de 77%. Ele aplica as tecnologias de IATF (Inseminação Artificial em Tempo Fixo) e a de ILPF (Integração Lavoura-Pecuária-Floresta), alguns dos fatores que lhe garantem altas produtividade na pecuária e na produção agrícola. A soja lhe rende uma média de 80 sacas por hectare. Há que se considerar que o solo da região é um dos melhores do Sudeste brasileiro para o cultivo de soja. A fazenda gera 15 empregos diretos. Sua pecuária é administrada por meio da tecnologia PAINT, um programa para o melhoramento genético de bovinos de corte, desenvolvido há 22 anos pela CRV Lagoa (Central de Inseminação).

O empresário rural diz acreditar que não basta plantar e/criar visando apenas lucros pessoais. Fundamental, conforme ele, que se alie essas culturas com as tecnologias disponíveis e o respeito a questão socioambiental. “Se não tomarmos estes cuidades, principalmente com o meio ambiente, um dia a coisa para”.

História

A saga da Família Kiep começou no Brasil em 1844, quando seu pai, migrante da Alemanha, iniciou, em São Paulo e Minas Gerais, um negócio de compra de café e  venda do grão para o seu país de origem.

A mão da indústria de saúde animal

Uma das patrocinadoras do Road Show, Vetoquinol Saúde Animal, também nos recebeu na Fazenda Cachoeira. Ela esteve apresentada pelo presidente da companhia, Jorge Espanha, ex-executivo da Phibro, e por Pedro Bacco, diretor executivo de desenvolvimento da Bacco Consultoria, iniciativa que presta serviços a Vetoquinol. Ambos fizeram palestras para os comunicadores de agro.

Jorge Espanha falou da trajetória da Vetoquinol no Brasil e no mundo. Conforme ele, a empresa é uma das líderes globais em saúde animal – pets e de grande porte. Foi fundada em 1935, na França, por Joseph Frechin. É uma empresa familiar, que teve um crescimento global espetacular. É, atualmente, uma das maiores do mundo e do Brasil. É gerida, na atualidade por Matthieu Frechin, neto do fundador Joseph.

Está no Brasil desde 2011, quando adquiriu o laboratório Farmagrícola (Fagra) e, com a aquisição da Clarion, do ramo de saúde animal, tornou-se uma das maiores empresas do ramo no Brasil

Possui um leque muito grande de medicamentos veterinários para animais de pequeno porte (pets) e para a pecuária de corte e leite.

Jorge Espanha conversou com Cerrado Rural Agronegócios:

Cerrado Rural Agronegócios (CRA) – Qual é a evolução da Vetoquinol nestes sete anos de Brasil?

Jorge Espanha, presidente da Vetoquinol no Brasil (Foto: Gabriel Muniz/Texto)

Jorge Espanha – A Vetoquinol vem investindo no Brasil nestes sete anos, primeiro com a aquisição do Grupo Fagra; depois adquiriu a Clarion, no ano passado, e nós passamos da posição de 22 para a posição 14 e na área de grandes animais a gente está entre as 10 maiores empresas, fora o negócio da vacina contra  febre aftosa, em termos de produtos veterinários.

CRA – O pecuarista brasileiro tem correspondido com as expectativas da Vetoquinol no Brasil?

Jorge Espanha – Sim, porque nós temos agora os produtos da Clarion. É a maior gama de produtos antiparasitários e antibióticos. Nós temos o protocolo completo do controle de carrapato, moscas e bicheira. Os produtos que foram desenvolvidos pelo Grupo Clarion agora serão mundiais, exportados para outros países com qualidade da Vetoquinol.

CRA – O Brasil tem uma responsabilidade muito grande com o fornecimento de proteína animal, mais especificamente carne bovina para o mundo. Qual seria a cota de participação da Vetoquinol neste contexto?

Jorge Espanha – Neste contexto, a empresa tem produtos diferenciados, produtos com descartes zero no leite, descarte zero na carne; produtos que são  utilizados como referência, hoje, principalmente para animais de exportação. Esta é a nossa colaboração para a segurança alimentar.

“Vetoquinil Resolve”

Em sua palestra, Pedro Bacco apresentou o programa “Vetoquinol Resolve”, de orientação em campo. Após sua palestra, ele explicou o conceito deste programa em conversa conosco.

Cerrado Rural Agronegócios (CRA) – Pedro, qual é o conceito desse serviço de informação e orientação que a empresa está lançando, que é o “Vetoquinol Resolve”?

Pedro Bacco fala sobre o programa #Vetoquinol Resolve” (Foto: Gabriel Diniz/Texto)

Pedro Bacco – A Vetoquinol lança agora, em 2020, o conceito de “Vetoquinol Resolve”. É um programa que visa levar informação de qualidade e serviço de qualidade para os nossos clientes. Nós estamos falando do “Vetoquinol Resolve” nos revendedores, estamos falando na nossa equipe de vendas em revendedores por todo o Brasil, cooperativas, revendas. Estamos falando o “Vetoquinol Resolve” nas fazendas. O que o “Vetoquinol Resolve” na fazenda vai proporcionar? Vai proporcionar o uso correto dos nossos produtos, vai proporcionar serviços aos nossos clientes, ou seja, pecuaristas de corte e leite; serviços como a sua mão de obra, da aplicação dos nossos produtos, parcerias com outras empresas para trabalhar todos os seguimentos da cadeia. Então, não poderíamos ter parcerias com empresas de nutrição, quando um cliente nosso demanda a melhora em nutrição;  podemos ter parcerias com empresas de pastagens,  quando o problema deste produtor for pastagem. Então,  a Vetoquinol inova trazendo um serviço de bastante qualidade ao produtor que vai impulsionar,  com toda a certeza, o uso correto de nossos produtos em todo o Brasil.

CRA – Qual seria o retorno prático deste programa para o pecuarista?

CRA – Seria maior produtividade. O que nós esperamos  deste programa? É trabalhar todos os pilares da cadeia e proporcionar maior  produtividade e lucratividade ao usuário final, seja o de corte ou o de leite.

CRA – A partir de quando o programa estará em campo?

Pedro Bacco – O programa estará em campo a partir de maio ou junho, com alguns módulos, com uma caravana itinerante desse programa por todo o Brasil e nós vamos fazer módulos por estado. Então nossa expectativa é que a gente rode todo o Brasil, de maio até dezembro deste ano, lançando um conceito, um conceito inovador no mercado de saúde animal.

Comunicadores após o trabalho de campo e um delicioso almoço (Foto: Gabriel Diniz/Texto)

PS.: Antônio Oliveira viajou a convite e por conta da Texto Comunicação Corporativa, idealizadora e executora do Road Show. Por problemas técnicos, deixamos e publicar este material também em vídeo, conforme anunciamos.