SHARE
O projeto Brazilian Rice tem como objetivo a promoção comercial do arroz brasileiro  (Foto: Divulgação)
O projeto Brazilian Rice tem como objetivo a promoção comercial do arroz brasileiro (Foto: Divulgação)

*Da Redação

As exportações de arroz somaram 794 mil toneladas entre março de 2017 e fevereiro de 2018, enquanto as importações ficaram em 758 mil toneladas no mesmo período contabilizando superávit de 35,9 mil toneladasm informa o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

Enquanto isto, Gustavo Ludwig, gerente do projeto Brazilian Rice, desenvolvido pela Abiarroz, em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos – Apex-Brasil, destaca que o Peru e os Estados Unidos foram alguns dos países que surpreenderam pela demanda no produto nacional. Além disso, Venezuela, Cuba, Senegal e Nicarágua também registraram grandes volumes em 2018.

– Os países que mais se destacaram na importação do arroz beneficiado brasileiro foram o Peru, que importou 47,8 mil toneladas de arroz branco, frente a 31,2 mil toneladas no mesmo período do ano anterior; e os Estados Unidos, mercado altamente exigente que aumentou os volumes comprados do Brasil, tanto em arroz branco quanto parboilizado, passando de 19 para 21 mil toneladas no período – afirma.

O projeto Brazilian Rice conta com extensa agenda de ações para o biênio 2018 – 2020 focando esforços em promoção comercial nesss mercados, entre outros, além de capacitar as empresas para o comércio exterior.

Brazilian Rice

O projeto Brazilian Rice tem como objetivo a promoção comercial do arroz brasileiro e seus derivados no mercado internacional. Trabalha para aumentar as exportações brasileiras de arroz beneficiado e dos produtos brasileiros produzidos a partir deste cereal. Instituído em 2012, o projeto é desenvolvido por meio de uma parceria entre a Associação Brasileira da Indústria do Arroz – Abiarroz e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos – Apex-Brasil.

*Material produzido por assessoria de imprensa, com edição de Cerrado Rural Agronegócios

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY