Crise pode ser superada com trabalho e criatividade, diz Sahium. (Fotos: Secm/Palmas)
Crise pode ser superada com trabalho e criatividade, diz Sahium. (Fotos: Secm/Palmas)

A prefeitura de Palmas, por meio de sua Secretaria de Desenvolvimento Rural (Seder) tem como uma de suas principais metas de desenvolvimento da agropecuária no Município, o aumento da produção de leite e o aumento da renda de seus pequenos produtores. Medida neste sentido foi uma reunião, nesta terça-feira, 2, com os produtores rurais do distrito de Buritirana.

O encontro foi aberto pela Seder com a entrega do relatório de gestão do ano de 2015, em que foi destacado o crescimento das lavouras de abacaxi, abacates, mandioca, milho, soja e folhosas. E que, para 2016 o foco será no aumento da produção de leite e sua industrialização.

Em seguida, o secretário da Pasta, Engenheiro Agrônomo, Roberto Sahium falou aos presentes.

– A crise econômica no País deve se estender por mais esse ano, mas garantiu que essas dificuldades geram muitas oportunidades. E que a resposta é tão somente trabalhar e produzir, utilizando, inclusive, as tecnologias e profissionais da própria secretaria de Desenvolvimento Rural – disse.

Produtores receberam  relatório de trabalho da Seder no ano passado.
Produtores receberam relatório de trabalho da Seder no ano passado.

O encontro abordou a demanda da Merenda Escolar por leite. Segundo dados da Secretaria Municipal de Educação os valores anuais que serão aplicados na neste setor somam mais de R$ 10 milhões e que cerca de 30% devem ser pagos à produção rural familiar, mas, para que isso ocorra é necessário planejamento e organização.

Os técnicos da Universidade Federal do Tocantins e da Seder disponibilizaram os números da produção leiteira no Estado e na Capital, afirmando que não atendem nem 5% do total consumido, sendo grande parte importado de Goiás. Por isso, ressaltaram a necessidade de se associarem, buscarem os certificados exigidos e participarem das licitações para este mercado promissor.

Participaram da reunião cerca de 50 produtores rurais, que têm três laticínios disponíveis para a industrialização do leite que produzirem.

– A produção de leite em Palmas aumenta e diminui de acordo com o período de chuvas, porque os produtores não têm acesso às tecnologias para armazenar a alimentação dos rebanhos, silagem e feno, de um período para ao outro. Por isso é importante o papel da Seder em assessorar e disponibilizar os profissionais necessários para garantir o aumento da produção de leite e do seus derivados – disse Adão Rocha Rego, produtor rural e membro da associação do Laticínio Jalapão.

(Fonte: Secom/Palmas)