Da Redação*

– Alcançamos o maior índice vacinal contra brucelose da história, com a vacinação de 97,84% das bezerras entre três e oito meses de idade, num total de mais de 486 mil bovinas e bubalinas. O Estado também bateu novo recorde de vacinação contra a febre aftosa, registrando 99,91% de alcance vacinal, ou seja, dos 8.495.251 bovídeos (bovinos e bubalinos) envolvidos, ao todo 8.487.541 foram vacinados – explica o presidente da Agência de Defesa Agropecuária do Tocantins (Adapec), Alberto Mendes da Rocha.

Suas palavras vêm a propósito do balanço de fim de ano do órgão e das comemorações de seus 20 anos.

Equipe da Adapec atuando no combate a clandestinidade, transporte e produção ilegal de carne –(Foto Delfino Miranda/Governo do Tocantins)
Equipe da Adapec atuando no combate a clandestinidade, transporte e produção ilegal de carne –(Foto Delfino Miranda/Governo do Tocantins)

Com o compromisso de manter o status sanitário livre da febre aftosa com vacinação, o órgão tem trabalhado nas ações previstas no Plano Estratégico do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA 2017-2026), que visa à retirada da vacinação contra a febre aftosa no Tocantins até 2021. Um grande passo em direção ao crescimento econômico com a abertura de novos mercados.

E os números positivos não param por aí, segundo a agência. Alberto Mendes comemora a conquista de interconectar 100% dos municípios tocantinenses ao Sistema Informatizado de Defesa Agropecuária do Estado do Tocantins (Sidato).

– Concluímos com muita luta, para evitar fraudes, agilizar os serviços e fortalecer a vigilância constante para o controle, prevenção e combate às principais doenças de alto impacto econômico –  acrescenta.

O Tocantins conta com mais 56 mil propriedades cadastradas com bovídeos (bovinos e bubalinos), que contabilizam 8,6 milhões de animais.

Outras medidas estão ligadas ao controle efetivo da sanidade dos equídeos, suídeos e aves, por meio dos monitoramentos e estudos epidemiológicos. Para colaborar com o controle da raiva dos herbívoros, neste ano, de janeiro a setembro, as equipes atuaram em 322 propriedades rurais em todo o Estado, distribuídas em 88 municípios.

A equipe de Inspeção de Produtos de Origem Animal tem intensificado os trabalhos para combater a clandestinidade, o transporte e a produção ilegal desses alimentos. Mas acima de tudo, tem colaborado com a qualidade dos produtos. Prova disso é que, no primeiro semestre deste ano, a Adapec aderiu ao Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Sisbi). Com isso, conseguiu a equivalência federal e o empresário que aderir poderá comercializar seus produtos em todo o território nacional.

Na área vegetal, foram cadastradas mais de 1.500 propriedades de soja numa área de quase um milhão de hectares e intensificado o monitoramento da ferrugem asiática, praga que ataca a cultura, e de outras de importância econômica como a Helicoverpa armigera e o Amaranthus palmeri.

Nas áreas de Várzeas Tropicais, continuam as atividades para assegurar a condição de excepcionalidade da produção de soja, uma vez que, nesta região, é autorizado o plantio de sementes no período do vazio sanitário.

A agência

Criada em 10 de dezembro de 1998, o órgão assegura o fortalecimento e o crescimento das atividades ligadas à defesa animal e vegetal, que tem colocado o Tocantins em destaque no cenário do agronegócio brasileiro, com a execução de ações no campo e na cidade.

E, em 2019, não será diferente – diz. O órgão já tem previsão de várias ações para serem desenvolvidas no decorrer de 2019. Entre elas estão: ampla divulgação sobre a retirada da vacinação antiaftosa; realização de monitoramentos para granjas comerciais de suínos; publicação e implantação do Protocolo de manejo clínico da Brucelose Humana; controlar, fiscalizar e garantir o trânsito de animais vivos, ovos férteis, produtos e subprodutos de origem animal e outros materiais de multiplicação animal, garantindo o controle sanitário das enfermidades; fiscalização de agrotóxicos em propriedades rurais e comércio; fiscalização do comércio de sementes; recadastramento Anual de Lojas Agropecuárias; cadastramento de empresas e produtos agrotóxicos para comercialização no Estado do Tocantins; além de muitas outras medidas.

– A Agência pretende trazer mais conquistas e manter consolidado o sistema de defesa agropecuária, pois onde há produtor rural, lá está a Adapec, onde está a Adapec tem atenção ao homem do campo. No campo e na cidade, a Agência está presente, desde a produção animal e vegetal até o alimento à mesa do consumidor –  finaliza o presidente da Adapec

*Fonte: Secom/TO, com edição de Cerrado Rural Agronegócios