Bioeconomia é a denominação dada às práticas sustentáveis  (Foto: REvista Press)
Bioeconomia é a denominação dada às práticas sustentáveis (Foto: REvista Press)

Da Redação*

A inserção da agricultura familiar na bioeconomia é um dos temas abordados na Feira de Tecnologia Agropecuária (Agrotins 2019). Bioeconomia é a denominação dada às práticas sustentáveis que reúnem todos os setores produtivos que utilizam recursos biológicos.

O secretário da Agricultura, César Halum, prestigiou a palestra na última terça-feira, 8, proferida por Marco Pavarino, coordenador geral de Agroecologia e Produção Sustentável da Subsecretaria de Agricultura Familiar, da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e Desenvolvimento Agrário do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

O palestrante explicou que uma parte da agricultura familiar já está inserida na bioeconomia.

– Eles produzem, comercializam e, por isso, já participam desse segmento econômico. Mas ainda existe uma parte que está fora desse processo –  afirma.

César Halum destacou potencial para desenvolvimento das práticas sustentáveis (Foto: Manoel Júnior/Governo do Tocantins)
César Halum destacou potencial para desenvolvimento das práticas sustentáveis (Foto: Manoel Júnior/Governo do Tocantins)

– O que nós pretendemos é fomentar e estruturar uma parte das cadeias produtivas e dos serviços que são oferecidos pelos agricultores familiares, para que eles consigam agregar valor aos seus produtos e ofertá-los de uma forma mais expressiva, gerando mais renda, mais emprego e consigam mostrar todo conhecimento que têm sobre os recursos naturais que utilizam – disse Marco Pavarino, informando que o Mapa está trabalhando na construção de um programa para bioeconomia para a agricultura familiar.

*Fonte: Secom/Governo do Tocantins, com edição de Cerrado Rural Agronegócios