A Associação dos Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), informou hoje que, após o fim do período de chuva no oeste da Bahia, as obras de recuperação emergencial das rodovias estaduais e vicinais da região foram retomadas.

Ainda de acordo com ela, novos trechos foram incluídos no plano de trabalho e outros, iniciados em junho, estão finalizados.

Entre os trechos iniciados, informa, ainda, estão as obras de recuperação e pavimentação na BA-225 (Coaceral). “Serão 75 km de estradas recuperadas e um investimento de R$ 13 milhões de reais. Os trabalhos de reconstrução do trecho estão em andamento e o prazo de conclusão é de aproximadamente 10 meses”, frisou.

Também no começo deste mês, ainda conforme a entidade,

Obras são frutas de uma parceria entre poderes públicos e iniciativa privada (Foto: Ascom/Aiba)
Obras são frutos de uma parceria entre poderes públicos e iniciativa privada (Foto: Ascom/Aiba)

técnicos do Departamento de Infraestrutura e Transportes da Bahia (Derba), realizaram levantamentos nas pontes do Rio Sapão e do Rio Preto, no município de Formosa do Rio Preto, para a finalização do projeto técnico da obra. O próximo passo será a captação de recursos para a construção de novas estruturas, permitindo ligar a região da Coaceral ao Anel da Soja.

No trecho da BR-349, que liga Correntina a BR-020, um plano de ação de parceria público-privada está sendo articulado para o início da operação tapa-buraco ao longo de aproximadamente 150 km de rodovia; o mesmo acontece nos 124 km da BA-463, que liga o município de São Desidério à BR-020, onde a operação já está em fase conclusiva.

Obras concluídas 

Foi finalizada a recuperação emergencial nos 52 km de estrada na BA-460, que liga a BR-242 ao município de Taguatinga, no Tocantins. Já no Anel da Soja, as máquinas recuperaram 40 km do trecho final da rodovia, próximo da localidade de Placas.

O trabalho de recuperação das rodovias do oeste da Bahia vem sendo articulado pela Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), através da mobilização de seus produtores associados, das prefeituras, e do governo do Estado. De acordo coma Aiba, “este trabalho beneficia a toda a região, à medida que facilita o escoamento da safra; além disso, traz conforto a população local que pode se deslocar com mais segurança e rapidez”, concluiu.

(Fonte: Ascom/Aiba, com edição de Cerrado Rural)