Da Embrapa Pesca e Aquicultura*

Termina nesta quinta, 23 de maio, o quarto encontro de participantes do projeto ABC Corte, coordenado pela Embrapa e que está trabalhando com pecuária de corte no Tocantins. Desde terça, dia 21, técnicos da extensão rural, pesquisadores e produtores rurais estão discutindo na sede da empresa em Palmas-TO o andamento das ações nas diversas propriedades rurais que integram o projeto.

Quem coordena o ABC Corte é o zootecnista Pedro Alcântara. Ele atua na área de transferência de tecnologia da Embrapa Pesca e Aquicultura (Palmas-TO), que, além de trabalhar os dois temas que constam no próprio nome, tem atividades de pesquisa e de transferência de tecnologia em sistemas agrícolas com foco na região do MATOPIBA.

O projeto vem apresentando resultados positivos, mostrando que a atividade no Tocantins pode ser aprimorada e gerar melhorias para os produtores.

– A gente tem observado que a tecnologia, quando bem aplicada, traz aumento de produtividade, associado ao aumento de rentabilidade, que é o principal objetivo: o produtor tenha um negócio mais lucrativo pra que a cadeia toda gire mais e a gente tenha um excedente econômico maior dentro da cadeia – diz Pedro Alcântara.

Os encontros do projeto acontecem uma vez por semestre. Uma parte interessante é quando os técnicos ligados ao ABC Corte relatam suas experiências de condução de Unidades de Referência Tecnológica (URTs). São propriedades rurais que adotam tecnologias já estabelecidas e acabam servindo de modelo, de referência, para outras propriedades da região. É como se fosse uma mostra, no campo, do que é possível avançar em termos de ganhos de produção, produtividade e rentabilidade.

A ideia é que os vizinhos, ao verem na prática o que foi feito perto deles, se sintam motivados a também implantar tecnologias para melhorar a atividade de pecuária de corte. Um compromisso dos técnicos do projeto é orientar e acompanhar pelo menos uma fazenda em sua área de atuação. Oito dos técnicos participantes do ABC Corte se destacaram nesse trabalho e foram reconhecidos publicamente por isso.

A Embrapa entregou certificados relatando que eles cumpriram as quatro etapas ligadas às respectivas URTs, que são diagnóstico, planejamento, implantação e acompanhamento. Além disso, os técnicos geraram adequadamente indicadores técnicos e econômicos, seguindo a metodologia proposta pelo projeto. E mais: o certificado aponta que os oito estão aptos a trabalhar com projetos de intensificação a pasto, também em consonância com a metodologia do ABC Corte, na próxima safra. A cada safra, deverá ser feita nova certificação, tanto desses oito como de outros participantes do projeto.

Um dos técnicos certificados desta vez é Áthila Damasceno Martins, que conduz URT na Fazenda Torre, município de Palmeirante, Norte do Tocantins. Ele trabalha no Instituto de Desenvolvimento Rural do Estado do Tocantins (Ruraltins) e diz que “nós temos desenvolvido o trabalho de suplementação de novilhas a pasto e os trabalhos têm sido cada dia mais prazerosos devido a gente conseguir aumentar a produção, mudar a realidade da fazenda”.

Os encontros do projeto acontecem uma vez por semestre (Foto: Clenio Araújo)
Os encontros do projeto acontecem uma vez por semestre (Foto: Clenio Araújo)

A produtividade média aumentou quase três vezes, chegando a cerca de seis arrobas por hectare por ano; e com boas perspectivas de continuar crescendo. Do atual ganho médio diário de peso por cabeça de 460 gramas, a expectativa é chegar a cerca de 800 gramas, de acordo com o técnico. Áthila elogia a formação da rede que está sendo proporcionada pelo projeto:

– Essa rede de profissionais possibilita a nós trocarmos muita experiência, trocarmos muitas ideias e com isso evoluir no trabalho.

Confira a seguir a relação dos oito técnicos certificados e as respectivas propriedades atendidas por eles:

Técnico

Vinculação

Propriedade atendida

Município

Carlos Henrique Maciel Vianna

Boa Esperança Agronegócios

Fazenda Limeira

Cristalândia

Guilherme Bevilacqua Maciel Milhomem

Boa Esperança Agronegócios

Fazenda São Benedito

Cristalândia

Valdimilson Rodrigues de Sousa

Solo Consultoria Agropecuária

Fazendas Teodoro e Santana, Vale dos Buritis e São Francisco

Figureirópolis, Dueré e Cariri

Matheus Borges Leal

Ruraltins

Fazenda Aracruz

Pau d’Arco

Carlos André Peixoto Lira

Lira Projetos Rurais

Agropecuária Morro Branco

Novo Jardim

Sérgio Manoel da Costa Bueno

Ruraltins

Lajedo

Guaraí

Áthila Damasceno Martins

Ruraltins

Fazenda Torre

Palmeirante

Manuel Enéas de Macedo Filho

Ruraltins

Novo Horizonte

Arapoema

Software 

Hoje, o acompanhamento dos indicadores das URTs (são 16 ao todo) é feito por meio de uma planilha eletrônica. Para facilitar esse trabalho, poupando tempo e aprimorando o acesso aos dados gerados, será apresentada na quinta-feira uma solução tecnológica de gestão de propriedades rurais.

De acordo com Renato Paniago, da Boviplan, “a ideia é apresentar o software pros produtores porque a gente acredita que dentro do software tem uma série de funcionalidades que podem colaborar com coleta, registro e análise das informações produtivas”. É uma possibilidade de, caso a solução tecnológica se adeque às necessidades dos produtores e dos técnicos envolvidos no ABC Corte, ocorra mais uma melhoria na gestão das propriedades envolvidas no projeto.

*Com edição de Cerrado Rural Agronegócios