SHARE

Para incentivar a diversificação de alimentos e aumentar a geração de renda dos agricultores familiares da região sul do Estado, o Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins) promove, neste mês de outubro, dois cursos sobre Avicultura Caipira.

As capacitações, programadas para os municípios de Cariri (no Projeto de Assentamento Santa Rita), nos dias 10 e 11, e em Figueirópolis, nos dias 30 e 31 (no Projeto de Assentamento Piaba) fazem parte das ações da Chamada Pública em Agroecologia, da Secretaria Especial da Agricultura Familiar e Desenvolvimento Agrário (Sead), que visa beneficiar famílias de agricultores das regiões, central, sul e norte do Estado do Tocantins, consolidando práticas produtivas de agroecologia já existentes, focadas na produção saudável de alimentos, livres de agrotóxicos.

Ruraltins promove curso de avicultura caipira na região sul do Tocantins
Ruraltins promove curso de avicultura caipira na região sul do Tocantins

De acordo com o engenheiro agrônomo do Ruraltins, Domício Rodrigues, a avicultura no sistema de produção agroecológica difere do modelo tradicional por adotar práticas sustentáveis.

– Incentivamos o produtor a utilizar na produção das aves o que ele tem em sua propriedade, reduzindo a utilização de produtos químicos e a compra de insumos. Além disso, orientamos para que eles procurem integrar a criação com outras culturas, como milho e hortaliças, com a finalidade de ter uma produção diversificada – afirmou o agrônomo do Ruraltins.

O técnico extensionista do Ruraltins em Gurupi, João Barros, que irá ministrar o curso em Cariri, afirma que dentre os pontos que serão abordados na oficina estão os tipos de construção e equipamentos para a instalação dos galpões, manejos sanitário e nutricional, manejos durante a fase inicial e de crescimento e noções básicas de higiene durante o abate e armazenamento.

– A criação de aves é uma das principais atividades da agricultura familiar e queremos incentivar a produção para que o produtor possa, além de se alimentar de forma saudável, ter uma renda extra, podendo comercializar inclusive para os mercados institucionais, como o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), na modalidade Compra Direta, e o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) – destacou João Barros.

Ainda de acordo com João Barros, o curso terá duração de 16h/aula finalizando com uma visita técnica em uma propriedade, onde os participantes irão observar as conformidades das instalações, seguindo as orientações apresentadas na parte teórica.

Da Ascom/Ruraltins, com edição de Cerrado Rural Agronegócios

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY