SHARE

*Da Texto Comunicação

A criação de gado pelo sistema de confinamento está em franco crescimento no Brasil. Levantamento da Associação Nacional dos Confinadores (Assocon) indica a terminação de 4,1 milhões de cabeças/ano, com estimativa de 5 milhões durante o ano de 2017. Assim – conforme a Associação -, nunca foi tão importante fazer o manejo sanitário correto dos animais, incluindo a prevenção e o combate de enfermidades de grande impacto econômico, como os problemas respiratórios em bovinos (DRBs). A redução de perdas possibilita aos produtores obter alta produtividade dos animais e, assim, aproveitar o bom momento da pecuária.

Confinamento é mais animais em menos espaço (Foto: Antônio Costa/Arquivo Cerrado Rural Agronegócios)
Confinamento é mais animais em menos espaço (Foto: Antônio Costa/Arquivo Cerrado Rural Agronegócios)

As DRBs estão entre as maiores preocupações sanitárias no sistema de confinamento, pois quando o animal é acometido por esses problemas há reflexo imediato no seu desenvolvimento, podendo gerar perdas a todo o projeto.

– Os animais doentes não conseguem atingir seu potencial máximo, pois não aproveitam a alimentação fornecida, gerando perda de peso e atraso na terminação. Por isso, a preocupação com o manejo sanitário nesse sistema de produção deve ser constante, uma vez que os animais ficam confinados e a intensificação favorece o aparecimento e a disseminação de algumas enfermidades infecciosas, principalmente nas três semanas iniciais à chegada do animal devido ao estresse causado pelo transporte e ao período de adaptação ao novo sistema – ressalta Roulber Silva, médico veterinário e gerente técnicos de Grandes Animais da Boehringer Ingelheim Saúde Animal.

Entre as causas que podem favorecer a enfermidade estão o estresse gerado pelo transporte, alojamento inadequado ou mudanças climáticas. Isso pode interferir na imunidade do aparelho respiratório, aumentando as chances de proliferação da doença.

– Os prejuízos causados por doenças respiratórias podem ser muito expressivos quando a enfermidade não é tratada a tempo e da maneira correta. O tratamento rápido e adequado é a melhor receita para evitar grandes prejuízos econômicos – reforça Rouber Silva.

Inovação para o confinamento  

A Boehringer Ingelheim Saúde Animal, diz oferecer aos produtores um importante aliado no combate as DRBs, trata-se de Zactran®, solução que trata e previne com eficiência as doenças respiratórias em bovinos de corte e leite, especialmente em sistema de confinamento. Zactran®  possui como princípio ativo a molécula Gamitromicina, da classe dos macrolídeos, desenvolvida e patenteada pela Boehringer Ingelheim Saúde Animal, e de uso exclusivo na medicina veterinária.

A tecnologia de Zactran® diferencia-se dos demais antibióticos por ter ação rápida e potente contra bactérias, tanto gram positivas quanto gram negativas. Em 30 minutos após a aplicação subcutânea Zactran® atinge concentrações pulmonares acima da CIM90 – concentração inibitória efetiva para eliminar as bactérias causadoras de doenças. Já o pico máximo de concentração no tecido pulmonar ocorre em até 12 horas e em até 24 horas nas células do pulmão e nos líquidos pulmonares, provocando a morte das bactérias, apresentando rápida eficácia terapêutica, protegendo o animal em tempo recorde.

Sobre a Boehringer Ingelheim Saúde Animal

Segunda maior empresa de saúde animal do mundo, a Boehringer Ingelheim conta com mais de 10 mil funcionários no mundo, tem produtos disponíveis em mais de 150 mercados e presença global em 99 países. Para mais informações sobre a Boehringer Ingelheim Saúde Animal, clique aqui.

A Boehringer Ingelheim

Medicamentos inovadores para pessoas e animais têm sido, há mais de 130 anos, o foco da empresa farmacêutica Boehringer Ingelheim. A Boehringer Ingelheim é uma das 20 principais farmacêuticas do mundo e até hoje permanece como uma empresa familiar. Dia a dia, cerca de 50.000 funcionários criam valor pela inovação para as três áreas de negócios: saúde humana, saúde animal e fabricação de biofarmacêuticos. Em 2016, a Boehringer Ingelheim obteve vendas líquidas de cerca de 15,9 bilhões euros e investiu 19,6% do faturamento em pesquisa e desenvolvimento. Os investimentos em pesquisas e desenvolvimento correspondem a 19,6% do faturamento líquido (mais de € 3 bilhões). A responsabilidade social é um elemento importante da cultura empresarial da Boehringer Ingelheim, o que inclui o envolvimento global em projetos sociais como o “Mais Saúde” e a preocupação com seus colaboradores em todo o mundo. Respeito, oportunidades iguais e o equilíbrio entre carreira e vida familiar formam a base da gestão da empresa, que busca a proteção e a sustentabilidade ambiental em tudo o que faz. No Brasil, a Boehringer Ingelheim possui escritórios em São Paulo e em Campinas e fábricas em Itapecerica da Serra e Paulínia. Há mais de 60 anos no país, a companhia estabelece parcerias com instituições locais e internacionais que promovem o desenvolvimento educacional, social e profissional da população. A empresa recebeu, em 2017, a certificação Top Employers, que a elege como uma das melhores empregadoras do país por seu diferencial nas iniciativas de recursos humanos. Para mais informações, visite www.boehringer-ingelheim.com.brou em nosso relatório anual:http://annualreport.boehringer-ingelheim.com

*Com edição de Cerrado Rural Agronegócios

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY