SHARE
A produção de algodão vem avançando e nesta safra, com a colheita em andamento, tivemos uma produtividade média de 300 arrobas/hectare e 42% do rendimento da pluma (Foto: Ascom/Abapa)
A produção de algodão vem avançando e nesta safra, com a colheita em andamento, tivemos uma produtividade média de 300 arrobas/hectare e 42% do rendimento da pluma (Foto: Ascom/Abapa)

Da Redação*

A Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), a Fundação Bahia e a Embrapa vão realizar no próximo sábado, 7, em Luís Eduardo Magalhães, o tradicional Dia de Campo do Algodão. O evento vem no embalo do crescimento de 33,56% da área de algodão e produtividade recorde pela segunda safra consecutiva na região oeste da Bahia.

O evento pretende levar para produtores, técnicos agrícolas e estudantes da área o que há de mais novo em tecnologia que visa a melhoria da qualidade da fibra baiana para agregar ainda mais valor nos mercados nacional e internacional.  O Dia de Campo, que será realizado a partir das 7h30 no Campo Experimental da Fundação Bahia, será uma oportunidade também para o intercâmbio de experiência entre os agricultores, que nesta safra 2017/2018 estão consolidando a Bahia como o segundo maior produtor de algodão do Brasil.

Da área de comercialização e qualidade da fibra, os participantes poderão conferir as palestras “Como agregar valor na fibra de algodão”, com Edmilson Santos, coordenador de algodoeiras da SLC Agrícola; e “Comportamento das Cultivares de Algodão do Mercado”, com o pesquisador Dr. Eleusio Curvelo Freire, da Cotton Consultoria Empresas Públicas. Da área de defesa fitossanitária, o Dia de Campo vai trazer novidades sobre “O Impacto Econômico da Spodoptera no Algodão com o Dr. Geraldo Papa. E, quem passar pelas estações distribuídas no campo experimental da Fundação Bahia, também vai saber mais sobre os “Drones na Agricultura: Usos e Benefícios que inovam o Setor”, com o Dr. Lúcio Jorge, da Embrapa Instrumentação.

Para o presidente da Abapa, Júlio Cézar Busato, o Dia de Campo é hoje uma referência cujo principal diferencial é a capacidade de trazer profissionais renomados e com estudos na área para debater soluções que interessam diretamente ao agricultor ou quem está dentro da lavoura de algodão.

– A produção de algodão vem avançando e nesta safra, com a colheita em andamento, tivemos uma produtividade média de 300 arrobas/hectare e 42% do rendimento da pluma. Para a próxima safra, está previsto incremento de mais 30% da área – afirma, ao entender que diante disto, aumenta também o interesse dos produtores de tecnologia e pelo conhecimento gerado no Dia de Campo do Algodão 2018, que conta com a parceria do Instituto Brasileiro do Algodão (IBA) e Fundeagro.

*Fonte: Ascom/Abapa, com edição de Cerrado Rural Agronegócios

 

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY