As discussões foram reunidas e dispostas na Carta do I Fórum de Pecuária Sustentável do Tocantins (Foto: Seagro/TO)
As discussões foram reunidas e dispostas na Carta do I Fórum de Pecuária Sustentável do Tocantins (Foto: Seagro/TO)

Da Redação*

Discutir a pecuária, seu cenário atual e as perspectivas de desenvolvimento desta importante cadeia produtiva do agronegócio tocantinense. Este foi o objetivo do I Fórum de Pecuária Sustentável do Tocantins, realizado em Palmas na última quinta-feira, 13.

Durante o evento foram realizados quatro painéis de discussão, onde foram apontadas as indicações e encaminhamentos que subsidiam este documento.

As discussões foram reunidas e dispostas na Carta do I Fórum de Pecuária Sustentável do Tocantins. De acordo com a diretora de Pecuária da Secretaria do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária (Seagro), Erika Jardim, a carta reflete o que foi discutido e colocado durante o fórum, nos temas: Diagnóstico e perspectivas futuras da cadeia produtiva da carne bovina; Projeto Agricultura de Baixo Carbono – ABC no Tocantins: Casos de Sucesso; Experiência dos Pecuaristas no Tocantins e a importância da organização na pecuária.

– A partir de agora, as políticas públicas serão discutidas nos grupos de trabalhos que serão criados pós-fórum.

Abaixo, indicações e encaminhamentos que subsidiam a Carta do I Fórum de Pecuária Sustentável do Tocantins:

  • Valorização e reconhecimento das pessoas sejam elas, pecuaristas, funcionários de fazendas, técnicos do setor, todos os envolvidos com a atividade pecuária;

  • Envolvimento do pequeno pecuarista, por meio do aprimoramento das metodologias utilizadas na extensão rural, que estejam integradas ao sistema de pesquisa na busca do compartilhamento de melhores práticas;

  • Utilização de tecnologias que promovam a pecuária de precisão;

  • Intensificação das tecnologias preconizadas pelo Plano ABC

  • União de esforços do setor público em parceria com o privado na busca pelo desenvolvimento regional sustentável da atividade;

  • Fortalecimento do tripé SANIDADE/NUTRIÇÃO/GENÉTICA como a base de  pecuária eficiente;

  • Adoção das medidas que garantam o bem estar animal;

  • Maximização da divulgação dos resultados alcançados com a adoção das boas práticas pecuárias;

  • Fortalecimento da organização dos pecuaristas para a maior representatividade e legitimidade das demandas apresentadas;

  • Ampliação da Política Estadual de Melhoria da Qualidade Genética dos Rebanhos – MAIS GENÉTICA TOCANTINS;

  • Realização permanente do Fórum de Pecuária Sustentável como ambiente de discussão e troca de experiências dos agentes envolvidos na atividade;

  • Criação do Grupo de Trabalho de Pecuária Sustentável do Tocantins como ferramenta de governança estadual que integre os diversos atores da cadeia de valor com o objetivo de debater e formular políticas públicas que sejam norteadoras dos padrões e boas práticas que devam ser adotadas pelo setor com a premissa de construir uma pecuária sustentável, justa, ambientalmente correta, e economicamente viável.

O edital tem como objetivo fortalecer a cadeia produtiva do mel e de seus derivados para que professores e pesquisadores possam aprofundar suas pesquisas (Foto: Seagro/TO)
O edital tem como objetivo fortalecer a cadeia produtiva do mel e de seus derivados para que professores e pesquisadores possam aprofundar suas pesquisas (Foto: Seagro/TO)

Fortalecimento da cadeia produtiva do mel

Durante o seminário e o fórum, o Governo do Estado, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Tocantins (FAPT) e Secretaria de Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária (Seagro), lançou o edital 01/2018 para concessão de materiais e equipamentos de insumos para projetos de pesquisa com apicultura,no valor de R$ 17.655, 90. Este editora foi publicado no Diário Oficial Nº 5.258 da última sexta-feira, 14.

Segundo a diretora de Pecuária da Seagro, Érika Jardim, esses materiais e equipamentos de insumos têm como objetivo fomentar projetos de pesquisa com apicultura e meliponicultura e implantação de apiários e meliponários didáticos, com vistas ao fortalecimento da cadeia produtiva do mel e derivados para professores e pesquisadores vinculados a instituições de ensino, pesquisa e extensão públicas e privadas sediadas no estado do Tocantins.

Serão selecionadas até seis propostas e as matérias e equipamentos serão divididos conforme demanda por atividade específica apresentada por cada instituição, sendo três para apicultura e três para meliponicultura. O prazo de vigência da execução do projeto será de até 36 meses.

Cronograma

Após a publicação, 14 de dezembro, o prazo para submissão de propostas será até o dia 18 de fevereiro de 2019, para avaliação das propostas Até dia 03/04/2019, e Publicação do resultado final 18/05/2019.

Proponente

Os interessados em participar do edital deverá obrigatoriamente possuir vínculo empregatício com instituições de ensino, pesquisa e extensão públicas e privadas sediadas no Estado do Tocantins; Ter currículo cadastrado e atualizado na plataforma Lattes do CNPq; Estar adimplente e/ou sem pendências junto à FAPT no momento da submissão da proposta;  Ter título de mestre e/ou doutor, válido em território nacional; Ser habilitado para trabalhos com apicultura e meliponicultura.

Contrapartida da Instituição de vínculo

O edital exige como Contrapartida da Instituição de vínculo do proponente que tenha área própria para implantação e instalação dos apiários e meliponários com cobertura vegetal preservada, devidamente cercada e sinalizada; A área deverá ficar à disposição da FAPT e da Seagro para eventos de difusão de ciência, tecnologia e inovação.

O endereço para entrega da documentação descrita no Edital será na Secretaria do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Turismo e Cultura do Estado do Tocantins (Seden), Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Tocantins (FAPT), Esplanada das Secretarias – Praça dos Girassóis – AANE, Prédio III, Palmas/TO, CEP: 77.001-036 – (63) 3218-1026.

Interessados em participar do processo encontrará mais informações e orientações no edital 001/2018 FAPT/Seagro, a partir da página 37 do Diário Oficial Nº 5.258 de 14 de dezembro de 2018.

Fonte: Ascom/Seagro, com edição de Cerrado Rural Agronegócios