Por Antônio Oliveira

Diante da pandemia do Covid-19 (Novo Coronavírus), das restrições impostas por governos federal e estaduais, atingindo os setores produtivos, várias associações representativas das diversas cadeias de produção de proteínas animal e vegetal do Brasil, estão se manifestando. Elas garantem a continuidade da produção, mas clamam por apoio oficial e solicitam que o governo ajude, não atrapalhe.

Itamar Rocha (Foto: Divulgação)

Neste domingo, foi a vez da Associação Brasileira dos Produtores de Camarão (ABCC). Via Whatsapp para seus sócios, por meio do presidente da corporação, Itamar Rocha, a entidade se expressou em nota oficial, que transcrevemos abaixo. ABCC cobra, também, por regras específicas para cada setor, não de forma generalizada sob  manto de “agropecuária”. O presidente da ABCC também cobra ação dos associados.

A nota, também recebida por Cerrado Rural Agronegócios:

“Prezados associados,

As regras gerais de apoio ao setor produtivo estão sendo veiculadas para o setor agropecuário de uma maneira geral, mas as regras específicas, de cada segmento produtivo, precisam ser demandas pela respectiva cadeia produtiva, para só então serem apresentadas a quem de direito, para que se possa assegurar e viabilizar os recursos e os meios de obtê-los e implementá-las.

Por isso, como nem o Presidente da ABCC ou de qualquer outra Associação, pode definir as prioridades setoriais, afora o fato de que a Diretoria da ABCC não recebeu nenhuma demanda específica, entendo que deveríamos reunir as lideranças setorial, para definir as demandas prioritárias, apontando os encaminhamentos e as possíveis soluções.

Essa conversa de que diante de uma crise de proporções gravíssimas, não podemos nos reunir, quando assistimos, o Presidente da República, do STF e vários Ministros se reunindo só para falarem de COVID-19, sem nenhuma resolução específica, não pode se aplicar a um setor, que pela sua fragilidade financeira, demanda urgentes medidas de apoio financeiro.

Por isso, não podemos  permanecer enclausurados e assistindo o nosso setor desmoronar sem que tenhámos apresentado um pleito com as demandas específicas, que precisam ser urgentemente elencadas, apresentadas a quem de direito e efetivamente implementadas.

Por isso, embora o Presidente do BNB  (Banco do Nordeste do Brasil) tenha me assegurado que os Pleitos e Acordos negociados por intermédio do Ministro Rogério Marinho (MDR [Ministério do Desenvolvimento Regional]), em favor dos associados da ABCC, que inclui dentre outros benefícios, o financiamento de custeio operacional e do produto acabado, precisamos apontar caminhos, como por exemplo:

1- no caso prioritário do financiamento da aquisição da produção, processamento e guarda do produto beneficiado!

Onde, como e quem irá ser implementado?

2-Adicionalmente e em paralelo, a definição e orientação sobre redução das densidades dos novos cultivos e

3- Prorrogação dos pagamentos de tributos e outros….

Abs

Itamar Rocha

Presidente da ABCC