Trabalhamos para que o ambiente de negócios melhore, se tenha menos carimbos, menos papel , mais ação e mais resultado, disse a ministra (Foto: Divulgação)
Trabalhamos para que o ambiente de negócios melhore, se tenha menos carimbos, menos papel , mais ação e mais resultado, disse a ministra (Foto: Divulgação)

Da Redação*

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento,  Tereza Cristina, disse a investidores e executivos de grandes empresas, nesta quarta-feira, 20, em Nova York, que a iniciativa privada terá papel fundamental para aumentar os investimentos no Brasil. Em evento promovido pelo Banco do Brasil e pela Brazilian American Chamber of Commerce, ela afirmou que o agronegócio brasileiro precisa urgentemente de investimentos em infraestrutura, principalmente em ferrovias, hidrovias, rodovias, locais de armazenagem de produtos, irrigação e energia.

Tereza Cristina explicou que o produtor brasileiro já usa tecnologia de ponta e tem alcançado índices de produtividade cada vez maiores tanto que nos últimos 40 anos conseguiu aumentar a produtividade em 330%, tendo aumentado a área plantada em apenas 33% , mas ainda sofre com o gargalo na infraestrutura que aumenta os custos de produção e diminui a margem de lucro nas cadeias produtivas.

– A agricultura brasileira está no caminho certo, mas o grande gargalo é a infraestrutura. É fundamental, para que o agronegócio continue sendo bem-sucedido e tenha competitividade nos mercados internacionais, que tenhamos (novos projetos de) ferrovias, hidrovias, rodovias, armazenagem, irrigação e energia – disse a ministra.

Em relação à produção de energia, a ministra lembrou que Brasil tem muitas fontes além das hidrelétricas e que o setor rural vem fazendo seu papel ao fornecer energia através da biomassa. Mas explicou que um país de dimensões continentais como o Brasil, e com tantas diferenças regionais, precisará sempre de mais energia para crescer.

– Enfim, o Brasil é um país com muito a fazer na parte de infraestrutura. E aí está a grande oportunidade para os investidores que queiram ir para o Brasil – afirmou a ministra.

Desde a eleição do presidente Jair Bolsonaro, disse Tereza Cristina aos investidores, o governo brasileiro passa por um novo momento. Os eleitores querem mudanças no país e, para isso, pedem investimentos também em educação, saúde, segurança pública. Na economia, segundo ela, a PEC do Teto de Gastos, aprovada ainda na gestão do ex-presidente Michel Temer, deu “um freio de arrumação” nas contas públicas, preparando o país para aumentar suas taxas de crescimento.

A ministra disse que Bolsonaro “quer levar o Brasil a outro patamar, de transparência, governança, mas com simplicidade”, para que as pessoas saibam como ele vai trabalhar e os rumos que quer para o país.

– O que me motivou foi a simplicidade e as coisas diretas que o presidente vem colocando. Ele fala as coisas que quer de maneira muito clara, gostando-se ou não – disse ela, acrescentando que teve total liberdade para montar sua equipe de governo, sem qualquer ingerência política.

– Quero tentar motivá-los para que conheçam o Brasil melhor. E aqueles que já têm negócios no Brasil saibam que as coisas vão melhorar – disse Tereza Cristina aos investidores.

Ela disse que vai reduzir a burocracia administrativa e aumentar a clareza, a simplicidade e a transparência.

– Vamos botar o ministério à disposição para desimpedir algumas coisas – explicou ela, falando ter recebido de empresários queixas sobre pedidos de licença parados há mais de dois anos no ministério.

– Estamos, o time todo de ministros, trabalhando para que o ambiente de negócios melhore e a gente tenha menos carimbos, menos papel circulando, mais ação e mais resultado nos empreendimentos, que são importantes para o nosso país – disse a ministra.

*Fonte: Ascom/Mapa, com edição de Cerrado Rural Agronegócios