Home Suinocultura EMERGÊNCIA SANITÁRIA – Adapec promove curso em Palmas

EMERGÊNCIA SANITÁRIA – Adapec promove curso em Palmas

A saúde de suínos depende, também, de instalações corretas (Foto: Antônio Oliveira/CDI-Cerrado Rural Agronegócios)
A saúde de suínos depende, também, de instalações corretas (Foto: Antônio Oliveira/CDI-Cerrado Rural Agronegócios)

Da Redação*

A Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Tocantins (Adapec) realizará uma capacitação para cerca de 40 médicos veterinários do órgão. O treinamento, que contará com palestrantes da própria Agência e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), ocorrerá entre os dias 12 e 14 de dezembro, no Campus II da Faculdade Católica, com aulas teóricas e prática de necropsia e colheita de material. Ele tem como objetivo

A responsável técnica pelo Programa Estadual de Sanidade de Suídeos, da Adapec, Regina Barbosa, explica que, com a confirmação de um foco de PSC (Peste Suína Clássica) em um município no estado do Ceará, a preocupação com a vigilância e a fiscalização aumentou, inclusive nas fronteiras que fazem divisas com o Maranhão, Pará e Piauí considerados área não livre para a doença.

– Mesmo o Tocantins sendo livre da PSC e estando longe do foco, foram intensificadas ações nas barreiras fixas, além de incentivo a capacitação que possibilita ao profissional mais conhecimento e preparo na execução dos serviços – avaliou.

“Como forma de prevenção, a Adapec realizou este ano, um levantamento em todo o Estado, para orientar e notificar os responsáveis pelos lixões sobre a proibição da permanência de suídeos nestes locais”

Na programação serão abordados os temas: Experiência de atendimento aos focos no Ceará; Diagnóstico diferencial para as doenças PSC, Peste Suína Africana (PSA), Aujesky, Salmonelose, Leptospirose, entre outras. Na prática de grupo será realizado contenção, necropsia, colheita, acondicionamento e preenchimento de FORM-IN.

Ações de prevenção

O Tocantins conta com aproximadamente 300 mil suínos em 40,8 mil granjas e criatórios de subsistência. Como forma de prevenção, a Adapec realizou este ano, um levantamento em todo o Estado, para orientar e notificar os responsáveis pelos lixões sobre a proibição da permanência de suídeos nestes locais. Uma vez que é proibido o uso de resto de comida de produtos de origem animal na alimentação da espécie, salvo quando submetidos a tratamento térmico numa temperatura de 90°C por pelo menos 60 minutos.

Vale lembrar que é proibido o trânsito de suídeos, seus produtos e subprodutos de zona não livre para área considerada livre.

Zona livre

De acordo com o Ministério da Agricultura, a zona livre de PSC do país concentra mais de 95% de toda a indústria suinícola brasileira. Cem por cento de toda a exportação de suínos e seus produtos são oriundos dessa zona, integrada pelo Distrito Federal e 15 estados  (RS, SC, PR, MG, SP, MS, MT, GO, RJ, ES, BA, SE, TO,  RO e AC). Nessa zona, a última ocorrência detectada de PSC foi em janeiro de 1998. O Ceará não integra a zona livre de PSC.

*Fonte: Ascom/Adapec, com edição de Cerrado Rural Agronegócios