ESPECIAL – ATER pública tem bons resultados no sudeste do Tocantins

ESPECIAL – ATER pública tem bons resultados no sudeste do Tocantins

SHARE
O agricultor familiar João Felipe da Conceição, cultiva hortaliças, frutas e legumes numa pequena área. Tudo com a supervisão de técnicos do Ruraltins, por meio do programa Quintal Verde (Foto: Tharson Lopes)
O agricultor familiar João Felipe da Conceição, cultiva hortaliças, frutas e legumes numa pequena área. Tudo com a supervisão de técnicos do Ruraltins, por meio do programa Quintal Verde (Foto: Tharson Lopes)

*Por Wherbert Araújo

Mesmo com as baixas precipitações hídricas e o período prolongado de estiagem, agricultores familiares do sudeste do Tocantins estão conseguindo garantir a segurança alimentar, a comercialização do excedente da produção e o surgimento de novos postos de trabalho. As ações, coordenadas pelo Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins) provam que com resiliência e otimização de recursos naturais é possível promover a extensão rural em todas as regiões do Estado.

Em Combinado, distante a 485 quilômetros de Palmas, existem dois laticínios, um deles possui aprovação de comercialização de produtos do Ministério da Agricultura, por meio do Serviço de Inspeção Federal (SIF), e o segundo já está viabilizando a documentação necessária. Com isso, diversas formas de comercialização de leite e derivados fizeram surgir novas maneiras de gerar renda.

Caso da aposentada Isabel Alves Marculino, que implementou em sua residência uma pequena fábrica de produção de iogurte natural e hoje comercializa seus produtos e ainda entrega a sobremesa para escolas do município, por meio do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).

– Comecei em 2001 sem nenhuma estrutura, apenas com a força de vontade. Foi então que, com o apoio do Ruraltins, eu aprendi técnicas de padronização e higiene e hoje está tudo bonito e organizado –  afirmou.

A aposentada Isabel Alves Marculino, começou com uma pequena fábrica caseira de iogurte natural e, com apoio do Ruraltins, atualmente emprega dois netos e já vende os produtos para os municípios de Ponte Alta e Taguatinga (Foto: Tharson Lopes)
A aposentada Isabel Alves Marculino, começou com uma pequena fábrica caseira de iogurte natural e, com apoio do Ruraltins, atualmente emprega dois netos e já vende os produtos para os municípios de Ponte Alta e Taguatinga (Foto: Tharson Lopes)

Além dos investimentos em maquinários de produção e armazenamento, a pequena empresária se orgulha em afirmar que o negócio já emprega seus dois netos, além de expandir para o comércio vizinho.

– A gente vende o iogurte até para os municípios de Ponte Alta e Taguatinga – ressaltou.

Sustentabilidade

Em Lavandeira, município vizinho a Combinado, a satisfação de oito agricultores familiares é visível quando participam do manejo na unidade do Programa de Produção Agroecológica Integrada e Sustentável (Pais), comumente conhecida como horta circular. Por meio de investimentos do Governo do Tocantins, a horta comunitária garante a subsistência das famílias, que ainda comercializam o excedente. Com 85 anos e uma vitalidade de fazer inveja, o aposentado Adontino Alfredo Lima ressalta que tudo o que produz é consumido pela família.

– Tenho 18 netos e 16 bisnetos. É muita gente para alimentar – frisou.

Quintal Verde

Quem também festeja a comercialização de produtos é o agricultor familiar João Felipe da Conceição. Motorista de máquinas pesadas durante 30 anos, ele mudou de profissão e há dois anos cultiva hortaliças, frutas e legumes numa pequena área. Tudo com a supervisão de técnicos do Ruraltins, por meio do programa Quintal Verde, de distribuição de sementes e equipamentos. Andando por sua horta, seu otimismo contagiante encanta quem observa o resultado de muito esforço, força de vontade e apoio técnico dos profissionais do Ruraltins.

– Minhas hortaliças estão todas bonitas. Dá orgulho de ver – afirma.

Segundo Carlos Rodrigo Xavier de Oliveira, técnico extensionista do Ruraltins, as ações do órgão visam otimizar recursos financeiros e hídricos e também orientar os pequenos produtores na busca de linhas de financiamento acessíveis, para a aquisição de insumos e equipamentos.

– Estamos sempre  acompanhando os produtores, fazendo reunião, falando da importância do trabalho em grupo, dando orientações no controle de combate de pragas e doenças. Nossa missão é estar presente desde o plantio até a comercialização. Quando o agricultor tem recursos para investir, a gente dá as orientações para acessar linhas de financiamento nas instituições financeiras que apóiam o pequeno produtor – ressaltou.

*É jornalista da Secretaria de Comunicação Social do Tocantins. Matéria, distribuída por esta Pasta,  com edição de Cerrado Rural Agronegócios.

 

 

 

 

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY