O tanque tem baixo custo de construção (Foto: Luciana Pires)
O tanque tem baixo custo de construção (Foto: Luciana Pires)

Da Redação*

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural (Seder), de Palmas, está expondo na Agrotins 2019 o tanque suspenso construído à base de adobe para produção de peixes. O tanque tem revestimento interno em cimento e impermeabilizável, que evita infiltrações e garante a durabilidade do material, com custo de R$ 1.012,00.

De acordo com os técnicos do Seder, o sistema começou a ser desenvolvido na edição de 2018, passou por algumas alterações no processo de impermeabilização e o projeto final deste modelo já está disponível, na sede da secretaria para todos os interessados na produção de peixes.

A engenheira de Aquicultura, Maíra Zambonato Dorneles, explica que atualmente existem 16 produtores de peixes em tanques de lona de vinil modelo bag fish, com 33 tanques. Quatro produtores de peixe em tanque de ferro e cimento, totalizando 20 tanques nesta modalidade. Vinte produtores de peixe em tanque rede no Lago de Palmas e 70 produtores de peixe em tanques escavados. Dois locais contam com três tanques de alvenaria, e quatro produtores de peixe em adobe, com seis tanques, sendo que o último modelo tem o menor custo de execução.

Maíra ressalta que esse modelo de tanque em adobe exposto na Agrotins comporta 10 mil litros de água e que a quantidade de peixe depende da taxa de renovação da água, ou seja, é preciso levar em conta a quantidade de água que entra e sai do dispositivo.

– A quantidade de quilos de peixes por metro cúbico depende do sistema de aeração adaptado às condições de cada modelo – disse.

Já o secretário da Seder, Roberto Sahium, destaca que o sucesso da piscicultura depende em grande parte da escolha do local. Por isso, vários fatores de infraestrutura precisam ser considerados antes de sua implantação, como a água, o solo, a topografia do terreno e os fatores climáticos.

– A quantidade de água determina a população de peixes a serem estocados, mas, se a qualidade da água estiver fora dos limites requeridos pela espécie a ser cultivada, não haverá uma resposta eficiente em termos de crescimento e engorda.

Sahium diz ainda que os dados da Seder demonstram que a criação em tanques suspensos tem chamado a atenção de piscicultores, pois com a técnica é possível comportar uma quantidade de peixes maior que no tanque convencional.

Peixes como o pirarucu vão muito bem neste tipo de tanque (Foto: Luciana Pires)
Peixes como o pirarucu vão muito bem neste tipo de tanque (Foto: Luciana Pires)

Sahium explica ainda que o cultivo de peixes é constituído, basicamente, por três fases: a alevinagem, a recria e a engorda, sendo que cada uma delas corresponde a um tipo específico de piscicultura.

– Para que cada fase seja bem conduzida, é necessário que o piscicultor conheça as formas de manejo e os cuidados que cada uma dessas etapas requer, visando manter as condições adequadas para o desenvolvimento dos peixes.

É Importante frisar que o sistema de confinamento em tanques suspensos afasta o risco de predadores, permitindo um controle da qualidade e temperatura da água e do ambiente do confinamento, além de facilitar a despesca, pois o processo de preparo dos peixes que serão enviados para o abate pode ser feito dentro do próprio tanque suspenso.

Além do projeto do tanque suspenso de adobe, a Seder oferece diversos serviços de assistência técnica e extensão rural para piscicultores do município e para outros interessados em ingressar na atividade de modo familiar ou comercial repassando orientações sobre cultivo, nutrição, manejo, sanidade, densidade e legislação ambiental.

*Fonte: Secom/Prefeitura de Palmas, com edição de Cerrado Rural Agronegócios