SHARE

A Agência de Defesa Agropecuária do Tocantins (Adapec) participou nesta terça-feira, 10, de uma reunião em Brasília com representantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e de diversos órgãos estaduais de defesa sanitária vegetal, onde foram debatidas diretrizes sobre o Programa Nacional de Controle da Ferrugem Asiática da Soja.

Adapec participou de uma reunião em Brasília com representantes do Mapa e de diversos órgãos estaduais de defesa sanitária vegetal sobre a ferrugem asiática
A Adapec participou de uma reunião sobre a ferrugem asiática em Brasília com representantes do Mapa e de diversos órgãos estaduais de defesa sanitária vegetal

Na pauta da reunião foram abordados temas relacionados a resistência da ferrugem asiática aos fungicidas registrados, desenvolvimento de pesquisas em andamento sobre a praga, panorama nacional da ferrugem asiática e demandas do setor privado e apresentação dos estados sobre a situação da praga em cada um deles.

O gerente de Sanidade Vegetal da Adapec, Marley Camilo de Oliveira, que esteve na reunião, ressaltou que na última safra, não houve no Tocantins surgimento expressivos de focos da doença.

– O Tocantins possui um programa estadual especifico para o controle da ferrugem asiática, por isso, realizamos além da fiscalização em campo, outros meios de controle legislativo, como o cadastro obrigatório das áreas plantadas, calendarização do plantio e o vazio sanitário – disse o gerente de sanidade da Adapec.

Segundo ele a reunião foi importante porque possibilitou que os órgãos de defesa estaduais visualizassem o cenário da doença em cada unidade da federação e quais as medidas de controle que estão sendo adotadas por cada Estado.

Na última safra da soja sequeiro, a Adapec fez monitoramento da ferrugem asiática nas 1.261 propriedades cadastradas junto a Agência, com 1.483 fiscalizações e durante o vazio sanitário foram mais de mil fiscalizações nas propriedades. Já nas várzeas tropicais pelo fato do plantio ser uma excepcionalidade, a Adapec realiza monitoramento constantes, onde foram realizadas 1.073 fiscalizações em 100% das propriedades.

Da Ascom/Adapec, com edição de Cerrado Rural Agronegócios

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY