SHARE

Da Redação*

A Cooperativa Agroindustrial do Tocantins (Coapa), localizada na cidade de Pedro Afonso, região centro-norte do Tocantins, recebeu durante a safra 2018/2019 um total de 109.495,330 toneladas de soja, maior volume de grãos recepcionado em sua história. A produção foi entregue por 110 sojicultores de 12 municípios.

A Coapa opera com dois armazéns (Foto: Ascom)
A Coapa opera com dois armazéns (Foto: Ascom)

Apesar da quebra que chegou a 12% na produtividade, ocasionada principalmente por questões climáticas, o crescimento no recebimento da oleaginosa foi de 18% em relação à Safra 2017/2018, que registrou a recepção de 93.155 toneladas, até então a maior quantidade recebida.

Apesar de não conseguir atingir a meta de 125 mil toneladas e da queda no preço da saca de soja, o gerente geral da cooperativa, Nelzivan Carvalho Neves, avalia o ano agrícola como positivo.

– Não foi uma safra excelente, mas foi de bons resultados. O mercado começa a reagir, o que é bom para quem decidiu esperar por melhores preços. Em contrapartida, temos uma safrinha de milho muito boa e com condições favoráveis, ou seja, é um ano bom para o produtor.

Os  resultados na recepção de grãos foram impulsionados pelos investimentos feitos na sua Unidade Armazenadora I, com capacidade estática de 60 mil toneladas, e no arrendamento de um armazém (Unidade II), que beneficia 16 mil toneladas de grãos, pertencente ao grupo Bunge.

– Os dois armazéns rodaram bem, atendendo as expectativas de recebimentos diários. O atendimento ao produtor foi o mais transparente no aspecto de classificação e também na agilidade na recepção – relatou o gerente operacional, Antônio Carlos Herculano, ao destacar que a aquisição da Unidade II foi fundamental para alcançar a quantidade de grãos recebida.

Um dos sócios da Fazenda Brejinho, que produz grãos há 31 anos em Pedro Afonso e na Safra 2018/2019 cultivou 2.170 hectares de soja, o produtor rural João Damasceno de Sá Filho ressaltou os investimentos feitos pela cooperativa na melhoria do atendimento aos associados.

– Tanto no armazém próprio, como no arrendando, é evidente a melhora no atendimento, principalmente na diminuição das filas. Claro que esse ano a gente teve uma safra um pouco menor e também a chuva prejudicou muito no período da colheita, mas independente disso foi visível a melhoria nos serviços prestados. Na minha avaliação, valeu o investimento – comentou Sá Filho.

Para o presidente da Coapa, Ricardo Khouri, o planejamento executado permitiu atender as expectativas dos sojicultores cooperados.

– Hoje a Coapa está estruturada, preparada, com expertise no mercado para fazer o fornecimento de insumos, o processo de assessoramento técnico do planejamento agropecuário e a recepção de grãos. A Coapa está pronta para fazer o cooperado se sentir seguro, mesmo com os problemas que podem aparecer – disse Khouri.

– Foram registrados índices de recepção de grãos nunca antes observados na história da cooperativa – completou

Expedição de soja

Da soja já recepcionada, até esta sexta-feira, 7 de junho, já haviam sido expedidas 60.096,902 toneladas. Os grãos, em sua maioria, são exportados para o mercado chinês.

Após o final da colheita de soja, os produtores da região apostaram na safrinha, com destaque para o cultivo do milho, como forma de conseguir números ainda melhores.

Com clima favorável e valor de mercado em alta, a safrinha começou a ser colhida em meados de maio e deve seguir até o final deste mês de junho. Até esta semana mais de 1.909,230 toneladas de milho foram recebidas pela Coapa. Deste total, foram expedidas 770 toneladas.

*Fonte: Ascom/Coapa

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY