Josiane Lage desempenha sua função tanto no campo quanto no escritório (Foto: Assessoria)

Da Redação*

A Trouw Nutrition desenvolve atualmente 16 projetos de pesquisas em pecuária de corte, em parceria com universidades brasileiras. Nove desses projetos inovadores são conduzidos por mulheres. Os estudos priorizam novas tecnologias nutricionais para bovinos, atividade com expressiva presença de profissionais homens.

Josiane Lage, Gerente de Pesquisa e Desenvolvimento, é uma das mulheres da Trouw Nutrition envolvidas nesses desafios de oferecer novas alternativas de programas nutricionais para bovinos de corte. Ela ressalta que os professores universitários, parceiros da empresa nas pesquisas, já notam a diferença da presença feminina inclusive nas salas de aula.

– Mais da metade dos alunos nos cursos de Zootecnia e Ciências Agrárias já são mulheres –  destaca Josiane.

– Também participo de muitos eventos técnicos e é visível o crescimento da presença das mulheres. Como pesquisadora e como mulher, fico muito feliz com essa realidade. Estamos fazendo a nossa parte no desenvolvimento de uma pecuária mais inovadora e tecnológica, com alta produtividade e resultados econômicos positivos para os produtores.

Josiane Lage é formada em zootecnia pela Universidade Federal de Viçosa (MG), na qual também realizou seu mestrado.

“Quero que minha carreira incentive outras mulheres a participar da pecuária de corte e contribuir para o fortalecimento da cadeia de proteínas animais no Brasil”

– Quando eu estava na graduação não priorizava seguir na área de pesquisas. Mas, depois das experiências acadêmicas, tudo foi acontecendo naturalmente. Comecei a desenvolver projetos e a pensar em novas tecnologias, além de me aprofundar nos assuntos que me interessavam –  conta a profissional.

Seu projeto de doutorado teve apoio da então Bellman, adquirida pela Trouw Nutrition. Dias depois de sua apresentação Josiane recebeu proposta para trabalhar na área de pesquisas e desenvolvimento. E está na empresa há mais de cinco anos.

– Fiquei muito animada porque essa foi a primeira porta que se abriu para aplicar meus conhecimentos na prática, diretamente com os produtores, aprimorando técnicas de manejo e desenvolvendo soluções inovadoras – explica.

Hoje, Josiane Lage desempenha sua função tanto no campo quanto no escritório, diversificando sua rotina.

– Com isso, consigo ter uma visão geral do negócio e entender as necessidades e desafios da atividade pecuária e pensar em como aplicar novas ideias e criar novos projetos. Quero que minha carreira incentive outras mulheres a participar da pecuária de corte e contribuir para o fortalecimento da cadeia de proteínas animais no Brasil.

*Fonte: Texto Comunicação Corporativa, com edição de Cerrado Rural Agronegócios