Da Embrapa

Eliseu Alves, ex-presidente da Embrapa (Foto: Embrapa)

O ex-presidente da Embrapa, Eliseu Alves, será homenageado na próxima terça-feira, 17,  à noite, em Brasília, com o Prêmio CNA Agro Brasil por ter se destacado com uma trajetória e ações que merecem o reconhecimento do setor agrícola pela contribuição ao desenvolvimento da agropecuária brasileira.

Participaram da indicação de Eliseu Alves para a categoria Pesquisa e Desenvolvimento, os membros da diretoria executiva da Confederação Nacional da Agricultura e presidentes das Federações da Agricultura e Pecuária dos diferentes Estados brasileiros. Uma comissão julgadora foi a responsável pela escolha final.

Eliseu Alves foi escolhido, nas palavras do presidente da CNA, João Martins da Silva Júnior, “pela brilhante trajetória como pesquisador, fundador, diretor e presidente da Embrapa, além de presidente da Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco (Codevasf)”.

O presidente da CNA cita ainda o fato de que Eliseu Alves é “autor de mais de 200 trabalhos publicados sobre o desenvolvimento de tecnologias e estudos a respeito da pobreza rural, em 62 anos dedicados à pesquisa agropecuária”.

O prêmio foi criado há quatro anos, com o objetivo de reconhecer aqueles que fazem a diferença em suas áreas de atuação na defesa e na divulgação da agropecuária em todo o país. Sobre isso, João Martins disse na solenidade do ano passado que “os produtores rurais produzem, são competentes e recebem prêmios, mas e aqueles que ajudam os produtores a serem o que são?”. E concluiu destacando a importância de prestigiar as pessoas que fazem a diferença.

Para o presidente da Embrapa, Celso Moretti, a homenagem é um “justo reconhecimento a uma pessoa que tem parte fundamental na construção de uma agricultura movida a ciência que hoje orgulha todos os brasileiros. Eliseu, para nossa felicidade, segue contribuindo diariamente para termos uma agricultura mais produtiva, sustentável e justa”.

O prêmio será entregue na próxima terça-feira, 17 de dezembro, às 19h30min. no auditório da sede da CNA, em Brasília.

Perfil

Eliseu Alves é engenheiro agrônomo pela Universidade Federal de Pelotas, Ph.D em Economia Agrícola pela Purdue University Indiana, mestre em Agricultural Economics pela Purdue University Indiana (1968). É servidor público há 58 anos. Começou como chefe do departamento de planejamento e avaliação da ACAR MG, hoje, Emater MG. de 1968 a 1973. Foi diretor da Embrapa de 1973 a 1979; presidente da Embrapa de 1979 a 1985; presidente da Codevasf de 1985 a 1989; secretário Nacional de Irrigação em 1989. Desde 1990, é assessor da Presidência da Embrapa.

Eliseu foi professor de Administração, Economia Rural Estatística, Microeconomia e Política Agrícola em diversos cursos e universidades. Orientou teses em nível de mestrado e doutorado. De 1955 a 1973 ajudou a consolidar o serviço de extensão rural e depois, como integrante de um grupo de cientistas sociais, ajudou a formular o modelo da Embrapa.

Como diretor da Embrapa, concebeu e executou o programa de pós-graduação da Empresa, que virou referência em capacitação. Como presidente da Codevasf, criou o conceito do distrito de irrigação, pelo qual os projetos públicos passaram a ser administrados pelos irrigantes. Concebeu e implantou o programa de exportação de frutas e negociou empréstimos com o Banco Mundial, Banco Interamericano de Desenvolvimento e Governo Japonês que estão permitindo uma expansão de mais de cem mil hectares de área irrigada.

Hoje, aos 88 anos, trabalha na sede da Embrapa, como assessor da Presidência ao mesmo tempo em que se dedica à pesquisa em política agrícola e em ciência e tecnologia. Nesta condição, tem dado assessoria a diversos governos, na condição de consultor do BID, Banco Mundial e FAO.