SHARE
(Foto: Katia Ferreira)
(Foto: Katia Ferreira)

Um dos grandes entraves para o controle de parasitas em vacas gestantes é o receio de que o uso dos antiparasitários pode provocar perdas gestacionais. É sabido que os ectoparasitas provocam grandes prejuízos à pecuária nacional. No caso dos carrapatos, por exemplo, algumas infestações podem levar ao atraso de 40 kg em média no ganho de peso e redução de mais de 3% na produção de leite, representando uma redução de 90,24 litros por vaca em lactação, além do risco de anemias e desenvolvimento de bicheiras nas feridas provocadas pelas picadas.

Diante dos prejuízos provocados pelos parasitas é fundamental definir programas de controle estratégico de acordo com o desafio. Nas altas e médias infestações o produto de escolha para o início do protocolo é o Colosso, podendo ser o Colosso Pour OnColosso FC30 e Colosso Pulverização. Animais de “sangue doce” representam de 10 a 15% do rebanho e acumulam cerca de 70% dos carrapatos do lote. Se forem fêmeas, muitas podem estar gestantes e precisam receber o tratamento adequado.

Com o objetivo de avaliar a segurança clínica do Colosso Pour On em animais gestantes, um estudo foi conduzido avaliando 40 vacas em diferentes períodos gestacionais. As fêmeas foram agrupadas em quatro lotes de acordo com o período gestacional, sendo um dos lotes mantido como grupo sem tratamento, conforme a tabela abaixo.

GRUPO
Nº de vacas
Período Gest.
Tratamento
Dose
Via
Resultado
1
10
1 a 4 meses
Colosso Pour On
1ml/10kg
Pour On
s/ aborto
2
10
4 a 8 meses
Colosso Pour On
1ml/10kg
Pour On
s/aborto
3
10
8 a 12 meses
Colosso Pour On
1ml/10kg
Pour On
s/abordo
4
10
Variado
Sem tratamento
s/aborto

0bs.: a dose máxima permitida para o Colosso Pour On é de 50ml para animais com peso igual ou superior a 500kg.

De acordo com os resultados obtidos neste estudo podemos afirmar que o Colosso Pour On, seguindo as recomendações de dosagem e carência (leite e carne) de bula, pode ser utilizado com segurança durante todo o período gestacional. O manejo dos animais em condições de estresse excessivo, acidentes, superlotação de currais, duração prolongada no curral, desidratação, altas temperaturas, agressões e outras falhas de manejo podem acarretar em morte embrionária ou abortos, portanto, é importante que sejam respeitadas as Boas Práticas na Aplicação de Produtos Veterinários e o Manejo Racional.

*São do Departamento Técnico da Ouro Fino Saúde Animal. Material produzido pela Ascom/Ouro Fino Saúde Animal

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY