Da Embrapa Meio Ambiente*

A equipe do projeto “Uso de bioindicadores para avaliação da qualidade da água no cultivo da tilápia”, da Embrapa Meio Ambiente (Jaguariúna, SP), organizou os dados coletados em viveiros escavados com produção de tilápia, no interior paulista, em uma base de dados compreendendo: macroinvertebrados bentônicos, parasitofauna de peixes e variáveis físicas e químicas de qualidade de água.

Os dados foram coletados em viveiros escavados (Foto: Embrapa)
Os dados foram coletados em viveiros escavados (Foto: Embrapa)

Essa base de dados contribuiu para o desenvolvimento de um sistema web para gestão do Banco de Dados para Avaliação da Qualidade da Água na Piscicultura (BioAqua).

Conforme Cláudia Crecci, analista da Embrapa que desenvolveu esse sistema com acesso livre, nele são divulgados dados úteis à pesquisa, aos produtores/piscicultores de tilápias, técnicos extensionistas, alunos de graduação e pós-graduação. Os dados poderão ser usados em consultorias referentes a temas como qualidade da água e até em estudos de biomonitoramento em aquicultura.

– A apresentação de fotos e desenhos dos organismos bentônicos facilita o reconhecimento dos grupos bioindicadores ao público leigo, potencial usuário do sistema –  destaca Cláudia.

O BioAqua possui três conjuntos principais de dados: variáveis físicas e químicas de qualidade de água, ectoparasitos de peixes e macroinvertebrados bentônicos. É possível consultar o sistema por um dado específico, ou por data da coleta de amostras, produtor e região do viveiro, entre outros. Isso permite o diagnóstico da qualidade da água e do peixe criado.

Após a validação do uso dos bioindicadores, o biomonitoramento poderá ser adotado em viveiros escavados, servindo como uma alternativa de menor custo. Quanto aos ectoparasitos de peixes, também conhecidos pelo potencial patogênico em sistemas de produção intensiva, também apresentam potencial como bioindicadores de qualidade de água.

Em todas as telas de visualização do BioAqua, os dados podem ser consultados e ordenados pelos campos de filtro, por meio de palavras-chaves ou seleção de datas. Há também a opção de ordenação dos dados independentemente dos campos de filtro estarem preenchidos.

Os dados selecionados pelo botão “Todos” ou pelos filtros podem ser exportados para um arquivo nos formatos HTML, CSV, Texto, Excel e/ou JSON.

Esse sistema também permitirá a difusão do conhecimento da fauna bentônica em área de piscicultura de tilápia em viveiro escavado, assim como o monitoramento de alguns ectoparasitos de brânquias para o manejo preventivo. A equipe pretende incluir novos dados ao BioAqua em pesquisas futuras, como por exemplo, a produção de tilápias em tanques-rede.

Esse trabalho foi premiado no Congresso Brasileiro de Aquicultura e Biologia Aquática (Aquaciência 2018), ocorrido em Natal, RN, de 17 a 21 de setembro.

Documentos 115, de Cláudia Crecci, Mariana Moura e Silva, Marcos Losekann e Márcia Ishikawa, Embrapa Meio Ambiente (Jaguariúna, SP), veja em
http://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/183842/1/2018DC02.pdf

*Com edição de Cerrado Rural Agronegócios