SHARE

Da Redação

Em relatório entregue à Justiça, nesta sexta-feira, 3, o Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) se posicionou a favor da autorização de uso das captações nos rios Formoso e Urubu, pelo período de sete dias, assegurando sempre os níveis estabelecidos no Plano do Biênio e respeitando os limites e regras de operação estabelecidos pelo Naturatins.

O Relatório foi entregue durante audiência pública em Lagoa da Confusão (Foto: Naturatins)
O Relatório foi entregue durante audiência pública em Lagoa da Confusão (Foto: Naturatins)

No mesmo relatório, o Instituto se posicionou desfavorável  à continuação de captação nos rios Xavante e Dueré, até que atinjam o nível permitido para captação segundo Plano do Biênio, ou mediante apresentação de estudo de viabilidade técnica devidamente justificado por responsável técnico habilitado e com conhecimento do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Formoso.

De acordo com dados do Sistema Gestão de Alto Nível e da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh),  a estação Foz Rio Formoso identificou que o Rio Formoso teve seu nível mais baixo nos últimos dias 21 e 22 de julho, atingindo 1,50m, quase o dobro do mesmo período no ano passado.

Já o Rio Urubu teve seu nível mais baixo no último dia 29, atingindo 4,05 m. Em 2017 o nível mais baixa ocorreu no dia 24 de julho (2,44 m).

Audiência

O Relatório produzido pela equipe da Gerência de Controle e Uso dos Recursos Hídricos do Naturatins, atende solicitação da Justiça realizada na 6ª  audiência pública sobre o uso da água na Bacia do Rio Formoso, realizada no último dia 1º, no município de Lagoa da Confusão.

No encontro, as instituições presentes não chegaram a um consenso quanto a suspender  a captação de águas nos rios.  O Ministério Público Estadual (MPE) requereu a suspenção da captação em caráter emergencial, até que o Naturatins apresentasse o relatório citado acima, com imagens, rotas e níveis dos rios da bacia.

Acesse o relatório abaixo

RELÁTORIO NATURATINS (2)

Fonte: Ascom/Naturatins, com edição de Cerrado Rural Agronegócios

 

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY