Home Eventos Jogos Indígenas Internacionais são lançados em Brasília

Jogos Indígenas Internacionais são lançados em Brasília

Palmas, capital do Tocantins, será a sede deste evento de nível internacional.

Governador em exercício do Tocantins ladeada por lideranças indígenas (Foto: Secom-TO)
Governadora em exercício do TO ladeada por lideranças indígenas (Foto: Secom-TO)

“O que as comunidades indígenas enfrentam hoje não é a luta pela preservação da terra, mas a luta pela preservação da identidade cultural.  É preciso que cuidemos dos índios como cidadãos com direito a educação, esporte e novas tecnologias sem que isso represente aculturação”. Fragmentos do discurso da governadora em exercício do Tocantins, Claudia Lelis, por ocasião do lançamento oficial, ontem à noite em Brasília, dos Jogos Indígenas Internacionais que serão realizados em Palmas no Tocantins, no próximo mês de outubro.

Para um público formado por autoridades federais e do Tocantins, bem como representantes indígenas nacionais e internacionais, Claudia Lélis, que está no exercício do cargo de governadora até nesta quarta-feira, enfatizou o compromisso do governador Marcelo Miranda com a preservação da cultura indígena. “De acordo com ela, o que as comunidades indígenas enfrentam hoje não é a luta pela preservação da terra, mas a luta pela preservação da identidade cultural.  É preciso que cuidemos dos índios como cidadãos com direito a educação, esporte e novas tecnologias sem que isso represente aculturação”, destacou.

O lançamento deste evento foi lançado com a presença da presidente Dilma Rousseff e contou ainda com a presença do prefeito de Palmas, Carlos Amastha. Ela elogiou empenho do Governo do Tocantins para a realização destes Jogos e reforçou a parceria do governo federal. Ela disse: “. “Nós somos parceiros e vamos enfrentar todos os desafios para realizar com sucesso os Jogos Mundiais Indígenas. Eu estarei presente”, afirmou.

O evento contou com apresentações culturais indígenas e participação especial da cantora, descendentes de negros e índios, Margaret Menezes. Os secretários das pastas envolvidas na organização dos jogos prestigiaram a cerimônia: secretário de Governo, Herbert Brito; do Esporte, Lazer e Juventude, Salim Milhomem; da Educação, Adão Francisco; da Cultura, Melck Aquino; da Segurança Pública, César Simoni; da Representação do Estado em Brasília, Renato de Assunção; e o chefe da Casa Militar, Coronel Bonfim.

O evento

Os Jogos Mundiais dos Povos Indígenas reunirão aproximadamente 2.300 participantes, sendo 24 etnias brasileiras e 24 internacionais. Durante o evento também acontecerá o Fórum Social Indígena, o Festival Artístico das Culturas Indígenas, a Feira das Artes Indígenas e a Feira da Agricultura Familiar Indígena. Haverá ainda a Oca Digital e Oca da Sabedoria, espaços com programações diversificadas sobre a cultura dos povos indígenas.

O evento foi criado em 1996 por iniciativa do Comitê Intertribal – Memória e Ciência Indígena, com o apoio do Ministério do Esporte do Brasil. Desde então, foram realizadas 12 edições em diferentes cidades brasileiras, até que um acordo firmado entre 17 países e o governo brasileiro ampliou o evento, que este ano será realizado pela primeira vez como Jogos Mundiais dos Povos Indígenas. A organização é do Comitê Intertribal, com apoio do Ministério do Esporte, Governo do Estado e Prefeitura de Palmas.

Na área da infraestrutura, a gestão estadual está investindo mais de R$ 2 milhões na reforma do Estádio Nilton Santos, local onde algumas modalidades serão disputadas. Também como parte do apoio, o Governo disponibilizou ao Comitê Intertribal uma sala na Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos com estrutura para que a liderança dos jogos possa dar andamento à organização.

(Fonte: Secom-TO, com alterações de Cerrado Rural)