Home Uncategorized Kátia Abreu lança Plano Safra 2015/2016 no Tocantins e anuncia conquistas no...

Kátia Abreu lança Plano Safra 2015/2016 no Tocantins e anuncia conquistas no MAPA

CAM01962
Além de anunciar o Plano Safra 2015/2016, Kátia Abreu anunciou avanços e metas de modernização do MAPA (Foto: Antônio Oliveira)

Por Antônio Oliveira (Cerrado Rural)

Após lançar, em Brasília, juntamente com a presidente Dilma Rousseff, o Plano Safra 2015/2016, a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Kátia Abreu, o lançou, no início da noite desta quinta-feira, em Palmas, capital do Tocantins. Foi na sede da Federação da Agricultura do Tocantins (Faet)/Senar, onde, sob uma tenda montada para fazer às vezes de amplo auditório, tinha mais de 1000 pessoas, incluindo 80 dos 139 prefeitos de municípios do Tocantins; presidente de cooperativas agrícolas e sindicatos rurais e autoridades municipais, estaduais e federais. A mesa de honra foi formada, além da Ministra, pela governadora em exercício do Tocantins, Claudia Lelis; pelo secretário de Agricultura deste Estado, Clemente de Barros; presidente do Sistema Faet/Senar, Paulo Carneiro; pelo prefeito de Palmas, Carlos Amastha; presidente da Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados, deputado Irajá Abreu, e pelo superintendente do Sebrae-TO, Omar Hennemman.

Em seu pronunciamento, completamente afônica, devido a extensa jornada de trabalho externos nos últimos dias, especialmente nesta quinta-feira, Katia Abreu anunciou algumas conquistas e alguns projetos para curto, médio e longo prazos do Mapa. De acordo com ela, o Plano Safra do próximo período agropecuário foi a maior conquista do Ministério neste atual Governo. “É um Plano que vai contribuir para mais uma safra recorde no País”, disse, referindo-se ao Programa que estava sendo lançado ali.

Este Plano, ainda de acordo com ela, ao contrário dos outros que o antecederam, se destaca não apenas pelo volume maior de recursos – 20% a mais em relação ao da safra passada – mas pelo prazo recorde de liberação de recursos. “Os recursos vão estar disponíveis nos bancos de fomento agrícola a partir do dia 2 de julho. Antes saía mais de 60 dias após o seu lançamento”, lembrou.

A Ministra anunciou ainda que nos próximos dias estará viajando com a presidente Dilma para alguns países tratando de interesses do agronegócio brasileiro. Nesse roteiro, de acordo com ela, estão os Estados Unidos, onde o Governo Brasileiro vai assinar documentos que liberam o mercado norte-americano para a carne brasileira. No Japão, ela vai tratar de assuntos que dizem respeito aos interesses do Território Matopiba. “No Japão não se fala em outra coisa, quando o assunto é investimentos no Brasil. O Governo Japonês e o JICA (Agência de Cooperação Internacional) querem investir no Matopiba”, a Ministra comemorou.

Ainda no roteiro da Ministra está a Rússia. Lá, o Governo Brasileiro vai assinar compromisso de liberação do mercado russo para todas as indústrias de produtos de origem animal, como as carnes de boi, aves, suína, embutidos; leite, etc.

Na sua exposição de conquistas e projetos do Mapa, por meio de sua gestão, a Ministra disse que fez muita coisa em apenas pouco menos de seis meses, inclusive dando mais agilidade e reduzindo a burocracia no órgão. Como exemplo disto, citou a mudança da lei que tira um pequeno frigorífico das condições de igualdade de um de grande porte.

Anunciou ainda que está em andamento um projeto da criação da “Aliança Nacional de Pesquisa e Tecnologia”, com um fundo inicial de R$ 2 bilhões que vão contemplar as pesquisas numa rede a ser formada pela Embrapa e pelas universidades brasileiras – estaduais e federais.

“A presidente Dilma não sai do Governo sem antes criar um plano agrícola exemplar e de longo tempo”, informou a Ministra, acrescentando que o atual governo trabalha para transformar o Mapa num ministério de primeiro escalão e que seja reconhecido como o é o Ministério de Agricultura do Estados Unidos, o USD (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, na tradução do inglês para o português).

Para o estado do Tocantins, Kátia Abreu anunciou a construção de um dos maiores armazéns de grãos, em Gurupi, no sul do Estado.

CRISE

 Ainda no seu pronunciamento, Kátia Abreu tentou minimizar a crise política e econômica do Governo Federal. “Política e corrupção a parte, o agronegócio vai bem, obrigado”, ela frisou, anunciando também que o Mapa está fazendo o mapeamento agrícola de todo o Brasil e, em comum acordo com o Palácio do Planalto e os outros ministérios técnicos, há uma busca pela rapidez nas ações, como por exemplo na continuidade e conclusão de ferrovias e hidrovias.

CIÚMES DE REGIÕES

 O entusiasmo e a ênfase que a Ministra tem dado para o Território Matopiba e a agência voltada para ele, levou-nos a questionar a Ministra Katia abreu se ela não teme ciúmes das outras regiões – Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Aliás, ela anunciou, na sua coletiva de imprensa, que a próxima viagem que fará ao Tocantins vai ser para anunciar a Agência Matopiba já completamente formatada e com suas diretrizes definidas.

“Eu disse aqui muito claramente: eu acabei de vir de Marabá (sul do Pará), onde me reuní com representantes de 39 municípios reunidos. Nós também temos projetos para lá. Do jeito que nós estamos fazendo projetos aqui, nós também temos projetos no Semiárido; nós estamos fazendo no Sul do país, com a eliminação da tuberculose e brucelose, para exportar leite; estamos investindo fortemente na região Norte, com implementação de armazéns da Conab, de Ceasas. Nós estamos fazendo o desenvolvimento regional e organizado em todas as regiões do país”, defendeu-se.

Cerrado Rural a questionou também sobre a importância do Tocantins no Matopiba. Segundo a ministra Kátia Abreu, o Estado, por ser central e ter uma logística “a mais especial que existe”  tem tudo para centralizar e ser o maior estado do Matopiba”, concluiu.

LIDERANÇAS COMENTAM O NOVO PLANO SAFRA

 Capital administrativa do estado do Tocantins, Palmas tem se despertado para o agronegócio, por meio das terras altas do Município, e da agricultura familiar, praticando nos dois planos.

Seu secretário de Agricultura, Roberto Sahium é um dos mais experientes de secretários de Agricultura em todo o Brasil. Já foi secretário desta Pasta no Governo do Tocantins durante três gestões consecutivas.

Ele comentou o novo Plano para Cerrado Rural. De acordo com ele, esse aumento de 20% em relação aos recursos aplicados na safra passada, corresponde justamente com o crescimento da agricultura e da pecuária brasileiras. “Não poderia ser diferente e isto para mim é fantástico, só temos que parabenizar esta inciativa”, sintetizou.

Presidente do Sindicato Rural de um dos mais importantes municípios agrícolas do Tocantins, Pedro Afonso, no centro-norte do Tocantins, Edmar Correa, disse que o Plano Safra 2015/2016 é de fundamental importância para o desenvolvimento de Pedro Afonso e região. “Eu o vejo com bons olhos, porque o que se ver hoje no Brasil é corte de todos os lados e no nosso Ministério, nós conseguimos, por meio da garra da nossa Ministra, aumentar os recursos (a serem aplicados na próxima safra)”, disse.

Ainda conforme ele, a esperança dos produtores é que realmente  este dinheiro esteja disponível a partir do dia 2 de julho, “e que nós possamos aumentar os nossos negócios, porque sem dinheiro não se pode fazer nada”, concluiu.

CAM01957
Paulo Carneiro destaca a importância de Kátia Abreu para o Tocantins (Foto: Antônio Oliveira)

Já o presidente do Sistema Senar/Faet, Paulo Carneiro, classificou como “muito importante” aquele momento para o movimento agropecuário do Tocantins. Conforme ele, além da Ministra “voltar à sua casa (A Faet), 6 meses e 25 dias após ter a ter deixado para assumir o Ministério, ela vem anunciar recursos que vão beneficiar não só o Tocantins, mas todo o Brasil”.

Paulo Carneiro, ainda nesta entrevista a Cerrado Rural, procurou minimizar as atuais taxas de juros do Plano Safra 2015/2016, mais altas que o Plano passado. Segundo ele, os juros subiram, mas não acompanharam a inflação”.

Leia mais sobre o Plano Safra 2015/2016