Da Redação*

A Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) promoveu uma reunião com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Tocantins (FAPT); Secretaria da Agricultura, Pecuária e Aquicultura (Seagro); Universidade Estadual do Tocantins (Unitins) e demais parceiros, na manhã desta quinta-feira, 30, em Palmas. O objetivo foi discutir a conclusão da obra do Laboratório de Referência Animal do Tocantins (LARA) e o modelo de governança para excelência no atendimento dos usuários.

As discussões, conforme a Adapec, resultaram na proposta de uma Ordem de Serviço para ser levada ao governador Mauro Carlesse, para que a empresa que ganhou a licitação conclua a obra.

Instituições se reúnem para fortalecer a efetivação do laboratório de referência animal (Foto: Ascom/Adapec)
Instituições se reúnem para fortalecer a efetivação do laboratório de referência animal (Foto: Ascom/Adapec)

– Atualmente 70% da estrutura está pronta e todos os equipamentos estão praticamente comprados. Com a colaboração dos órgãos envolvidos com a produção pecuária acredito que finalizaremos esse processo – ressaltou o pesquisador da Unitins, Claudio Henrique Clemente Fernandes. O professor, Márcio Silveira, complementou.

– Queremos retomar a conclusão para atendermos com precisão, segurança, bom preço e eficiência os produtores rurais, que hoje mandam exames para São Luís-MA ou Brasília – disse.

O presidente da Adapec, Alberto Mendes da Rocha, avaliou o encontro relevante e colocou a instituição à disposição para colaborar nos trâmites.

– Temos muito interesse que o laboratório funcione para agilizar o resultado dos exames e diminuir custos não só pra Agência, mas também para os produtores rurais, pois será possível fazer exames de mormo, anemia infecciosa equina, raiva, febre aftosa (sorologia), entre outros – destacou.

O secretário da Agricultura, Pecuária e Aquicultura, César Halum, falou da importância do LARA para resolver os problemas em virtude da necessidade do setor agropecuário do Estado.

– É necessário evoluirmos e propiciarmos a otimização da realização de exames aqui no Tocantins, será de grande valia para o setor e também para os estados vizinhos – destacou.

LARA

O laboratório foi projetado há 11 anos em Araguaína. A FAPT elaborou o projeto e os recursos foram aportados pela Unitins, por meio do governo federal com contrapartida do governo estadual, num total de aproximadamente R$ 1,2 milhão.  A finalidade é trazer autonomia para as instituições ligadas à produção animal, com o público-alvo: produtor rural, agropecuaristas, agroindústria, agricultura familiar, centro de controle de zoonoses e vigilância sanitárias e epidemiológicas municipais. Pretende-se desenvolver mais de 18 análises.

 

*Fonte: Ascom/Adapec