SHARE

Da Ascom/ Certified Humane*

No verão, a criação de galinhas demanda maior atenção dos produtores. Isso porque o aumento excessivo do calor pode levar ao estresse térmico, fator prejudicial à produtividade das aves. Leia o conteúdo a seguir e saiba como minimizar as consequências da estação mais quente do ano para garantir o bem-estar das galinhas.

O produtor também deve se precaver com um gerador para manter os climatizadores em funcionamento  (Foto: Divulgação)
O produtor também deve se precaver com um gerador para manter os climatizadores em funcionamento (Foto: Divulgação)

O calor excessivo deve ser tratado como um fator de ameaça para a criação de aves. O clima típico do verão prejudica o bem-estar animal das aves, já que elas consomem menos alimento nestas situações. Além disso, quando a temperatura ambiente ultrapassa a zona de termoneutralidade dos animais, aliada à alta umidade do ar e a falta de vento, pode ocorrer o estresse térmico; segundo informações do pesquisador da Embrapa Suínos e Aves, Paulo Abreu. Se não houver cuidados especiais na criação de galinhas, este contexto pode até levar à morte das aves.

Estresse calórico das galinhas

Diante do estresse térmico, as aves aumentam os mecanismos para eliminar o calor e diminuem a intensidade metabólica. A idade, o tamanho e o estágio produtivo das galinhas, além das instalações são fatores que influenciam estas reações, que dependem em grande parte dos animais, conforme informações da Embrapa.

Para a criação de galinhas, deve-se considerar que a temperatura ideal (interna) de um animal gira em torno de 41ºC a 42ºC. Não há uma temperatura ambiente fixa para garantir o conforto das galinhas; isso depende da umidade relativa do ar e a sua relação com a quantidade de calor no local. Para 30% de umidade no ar, por exemplo, a temperatura deve girar em torno de 33ºC. Se a umidade aumentar para 50%, a temperatura ideal cai para 31ºC. Quando a umidade estiver em 75%, a temperatura adequada será de 28ºC.

Diante de verões cada vez mais intensos, a sensação de calor e abafamento parece difícil de controlar. Mas algumas atitudes podem fazer toda a diferença, além de seguir adequadamente as regras de bem-estar animal para galinhas poedeiras.

Ações preventivas no calor

O sombreamento por árvores ou telas, além de ventiladores internos com aspersores são itens que auxiliam na criação de galinhas durante o verão. O produtor também deve se precaver com um gerador para manter os climatizadores em funcionamento nos casos de falta de energia elétrica, evitando a mortalidade das aves. Vale lembrar que, segundo os manuais de diretrizes de criação de galinhas da Certified Humane, os registros diários das temperaturas máximas e mínimas de cada alojamento devem ser mantidos e estar disponíveis ao inspetor.

Banhos de poeira também são importantes para que os animais mantenham a sua temperatura corporal. Outra dica é oferecer água abundante, limpa, sem contaminantes e fresca em qualquer fase da criação, mantendo a sua temperatura em torno de 22ºC – gelo na caixa d’água pode ajudar. Manter a temperatura ambiente dentro dos galpões entre 28ºC e 30ºC é essencial. Vale lembrar que na criação de galinhas a densidade máxima dentro do alojamento não pode ultrapassar 7 aves por m², enquanto na área externa deve ser de 0,5 m² por ave alojada.

Para conhecer todas as regras para a criação de galinhas poedeiras segundo os critérios de bem-estar animal Certified Humane, baixe aqui o manual de diretrizes completo.

*Com edição de Cerrado Rural Agronegócios

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY