SHARE

Da Redação*

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural (Seder), do  município de Palmas, em convênio com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) realizou, nesta quinta-feira, 25, duas palestras técnicas sobre pecuária leiteira para os produtores rurais da região dos projetos de assentamento Entre Rios, Sítio, Estiva e Taquaruçu. A primeira, ‘Como alimentar o rebanho leiteiro na seca’, com o zootecnista e Mestre em Ciências Veterinárias – Embrapa Pesca e Aquicultura -, Cláudio França Barbosa, e a segunda ‘Uso de concentrado para rebanho leiteiro’, com o zootecnista da Seder, Thiago Moreira.

Palestras visam capacitar o pequeno produtor de leite de Palmas  (Foto: Edu Fortes)
Palestras visam capacitar o pequeno produtor de leite de Palmas
(Foto: Edu Fortes)

O primeiro palestrante, Cláudio Barbosa, falou sobre planejamento alimentar, uma visão geral sobre a produção sustentável de leite ao pasto e os pontos vitais no gerenciamento como: adequação da água, subdivisão das pastagens, manejo, produção de alimentos a serem fornecidos no período pré-seco e seco do ano, sombreamento para o rebanho, preservação e revitalização ambiental, entre outras coisas.

– Para planejar o alimento do rebanho é preciso considerar o solo, o clima, saber como plantar, conduzir e manejar essas pastagens, considerando inclusive uns dos principais alimentos que é a água, o que chamamos de interação genótipo-ambiente – disse.

Na segunda palestra, Thiago Moreira, disse que muitos produtores vêem como correto o uso da ração para os animais como forma de suprir o que falta no pasto por conta da seca, o que não é verdade.  Segundo o palestrante a base principal é a pastagem e o uso correto da tecnologia, para preparar o concentrado e assim aumentar a produtividade e tapar as lacunas que o pasto deixa durante o período da seca.

– A tendência é no futuro eliminarmos o uso da ração, uma vez que tanto a chuva como o calor favorecem a produção de pastagem – disse.

O produtor do Vale do Estiva, Anízio Moura Filho, durante o evento declarou que começou há seis anos produzindo apenas 30 litros de leite, atualmente, com o apoio técnico oferecido pela Seder aumentou a produtividade para 170 litros.

– A minha meta é produzir em média 500 litros de leite, vou industrializar metade e a outra parte buscarei um laticínio para estocar o restante.

Ao final, um dos coordenadores do evento, o zootecnista Claudio Sayão, destacou que esse convênio com o Mapa visa o fortalecimento da assistência técnica de extensão rural para várias atividades, engenharia bovinocultura de corte e de leite, fruticultura, psicultura e horticultura.

– Além da extensão, objetivamos a implantação de uma unidade demonstrativa na parte de bovinocultura de leite para esclarecimento de várias metodologias, como a gestão da propriedade rural e manejo das pastagens para melhorar a rentabilidade – disse lembrando que durante a Agrotins haverá uma palestra sobre bacia leiteira, com ônibus para levar os produtores dessa região.

*Fonte: Secom/Prefeitura de Palmas, com edição de Cerrado Rural Agronegócios

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY