SHARE
Ato de assinatura do acordo de cooperação (Foto: Governo do Tocantins)
Ato de assinatura do acordo de cooperação (Foto: Governo do Tocantins)

A Secretaria do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária do Tocantins (Seagro), o Instituto do Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins) e a Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), assinou, em maio deste ano, durante Agrotins,  um Termo de Cooperação Técnica, o Pró-Genética, com a Associação Brasileira de Criadores de Zebu (ABCZ). O extrato deste termo foi publicado no Diário Oficial no último dia 03 de outubro. O objetivo, conforme estes órgãos do Governo do Tocantins é melhorar geneticamente os rebanhos pecuários do Estado e, ainda, fomentar a produção de carne e leite nas pequenas e médias propriedades rurais, através do uso de touros zebuínos, Puros de Origem (PO), com Registro Genealógico Definitivo (RGD) e exame andrológico apto à reprodução.

O animais alvos do programa são aqueles com idade entre 18 e 42 meses, proporcionando aos médios e pequenos produtores a possibilidade de um aumento de produtividade de seus rebanhos e consequente melhoria de renda e padrão social.

Outra proposta é para aproximar pecuaristas produtores de touros de elite e de rebanhos comerciais, de forma a garantir uma genética superior para a base produtiva.

Democratização

De acordo com a diretora de Políticas para a Pecuária da Seagro, Érika Jardim, a intenção é de proporcionar, por meio  de feiras e leilões, a aquisição de touros registrados, de qualidade genética comprovada, para que agricultores familiares, assentados da reforma agrária e médios produtores melhorarem a genética de seus animais.

– A proposta é desmistificar o pensamento de que touro registrado é muito caro e inacessível para pequenos e médios produtores, mostrando também que é possível melhorar esses rebanhos democratizando a genética animal – explica Érika Jardim.

A diretora destacou o papel das instituições públicas acima citadas que é o de levantar as demandas de touros dentro desses rebanhos e juntar essa demanda à oferta de exemplares produzidos no Tocantins.

– O Governo do Estado estará fortalecendo dois elos da cadeia produtiva para pecuaristas, na medida em que coloca touros de alta qualidade nas pequenas propriedades rurais, ao custo de R$ 7 a 8 mil, proporcionando ganhos na produtividade e também na articulação de mercados consumidores, fomentando a comercialização dos touros produzidos aqui – argumenta.

Feira de touros

Para o pecuarista Fábio Klieman, da Fazenda Santo Ângelo, município de Aparecida do Rio Negro, a ação é muito importante.

– Hoje atendo a apenas 3% do mercado nacional como a disponibilização de 250 touros para negócio, ao ano – informa.

– O pequeno produtor não tinha informações e nem acesso a essa genética e com o programa o alcance será maior na comercialização dos touros e retorno também para os pecuaristas que aumentarão seus ganhos com produtividade – destaca.

O produtor informou também que no sábado, 21, acontecerá uma feira para venda de touros, onde serão disponibilizados para comercialização 120 reprodutores. O evento acontece em parceria com ABCZ, das 8h às 17h, na Fazenda Santo Ângelo.

Demanda de touros

Atualmente o Estado possui 4.040.229 matrizes aptas à reprodução.

– Se considerarmos 5 anos a vida útil de um touro reprodutor, seriam atendidas 808.045 ao longo do período, levando em consideração a relação de um touro para 30 matrizes, teríamos uma demanda de 26.934 touros – explica o técnico da ABCZ, Luís Fernando Salim.

Entretanto, o Tocantins tem registrado 15 mil machos, mas apenas 5 mil ganham registro definitivo.

– Isso quer dizer que temos uma demanda reprimida de cerca de 20 mil touros registrados, e é essa a demanda que o Pró-Genética quer atender, colocar mais touros no mercado e aumentar a melhoria genética do rebanho tocantinense – completa.

Da Ascom/Seagro, com edição de Cerrado Rural Agronegócios

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY