SHARE
Equipes realizam controle populacional de morcegos hematófagos, que alimenta de sangue e é considerado o maior transmissor da raiva na zona rural (Foto: José Veloso/Adapec)
Equipes realizam controle populacional de morcegos hematófagos, que alimenta de sangue e é considerado o maior transmissor da raiva na zona rural (Foto: José Veloso/Adapec)

Da Redação*

Equipes da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) desenvolverão ações de controle da raiva dos herbívoros (bovinos, equídeos, suídeos, caprinos e ovinos), entre os dias 11 e 18 de outubro, no município de Paranã, localizado na região sudeste do Tocantins. Na região, será realizado o monitoramento e cadastramento de abrigos, além da captura de morcegos hematófagos, maior transmissor da raiva na zona rural, visando o controle desta espécie.

De acordo com o gerente do Programa Estadual do Controle da Raiva dos Herbívoros da Adapec, José Emerson Cavalcante, os produtores rurais alegaram lesões em bovinos causadas pela sugadura de morcegos e a presença de abrigos.

– Sempre que somos notificados às equipes vão a campo para executar as ações, que tem incluindo também orientações, já que a doença é uma zoonose que pode ser transmitida ao homem – disse.

Neste ano, de janeiro até o momento, as equipes visitaram 322 propriedades rurais em todo o Estado, localizadas em 88 municípios. Ao todo foram capturados 1.643 morcegos hematófagos.

– Destes, 10% são enviados ao laboratório para verificação do vírus rábico. Os demais recebem uma pasta vampiricida no dorso e são soltos, ao voltar para o abrigo, eles têm o hábito de se lamberem o que resulta na eliminação de 15 a 20 outros morcegos desta espécie – explica José Emerson.

O presidente da Adapec, Alberto Mendes da Rocha, disse que todo esse trabalho é feito sem custo algum para os produtores rurais.

– Nossas equipes estão à disposição, as ações têm sido feitas de forma rotineira conforme cronograma, dando prioridade aos focos da doença e as notificações dos produtores rurais, que podem estar procurando a Adapec do seu município para informar os fatos – disse.

Vale lembrar que a melhor forma de prevenção é a vacinação do rebanho contra a doença.

Sintomas 
Depois de infectado pelo morcego hematófago, o animal apresenta alguns sintomas como isolamento do restante do rebanho, apatia, perda de apetite, salivação abundante e dificuldade para engolir. Com a evolução da doença, tem movimentos desordenados, tremores musculares, ranger de dentes, decúbito lateral e morte.

A Agência alerta que o produtor deve evitar o contato direto com animais que apresentam sintomatologia nervosa. Qualquer dúvida ou denúncia em relação a defesa agropecuária, o produtor pode entrar em contato também, por meio do Disque Defesa no 0800 63 11 22.

*Fonte: Ascom/Adapec, com edição de Cerrado Rural Agronegócios

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY