O presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins, defendeu a pecuária brasileira em carta enviada às principais entidades representantes dos produtores rurais europeus.
Joao_Martins_Presidente-da-CNA-defende-modernização-da-logísticaA carta repercutiu em veículos da imprensa internacional, que parabenizaram a CNA por ter equilibrado o debate ao defender a produção brasileira de carne bovina.
O objetivo do documento foi rebater alegações falsas e a campanha negativa de entidades que congregam produtores e cooperativas europeias (Copa e Cogeca) sobre a produção, o manejo e a qualidade dos produtos brasileiros, em especial a carne bovina.
Uma das questões levantadas por essas entidades é que a carne brasileira não cumpre requisitos de rastreabilidade estabelecidos pelo bloco econômico.
Em entrevista ao Canal do Produtor TV, a Superintendente de Relações Internacionais da CNA, Lígia Dutra, afirmou que “o sistema de rastreabilidade brasileiro, que permite identificar desde a produção até a distribuição do produto, é confiável e está dentro dos padrões do mercado europeu”.
– Prova disso são as nossas exportações de carne bovina in natura para a Europa que, em 2016, totalizaram 64 mil toneladas e somaram US$ 488 milhões – disse Lígia.
Da Ascom/CNA