SHARE

*Por Antônio Oliveira

O Brasil tem um dos maiores potenciais agrícolas, comerciais e industriais; tem universidades que se destacam em todo o mundo por sua capacidade de ensino, pesquisas e difusão de tecnologias. Mais importante que tudo isto é a sua capacidade de se transformar em principal celeiro de alimentos, fibras, biomassas e energias renováveis para todo o mundo, graças aos avanços de suas instituições de pesquisas e empreendedores que sabem absorver novas tecnologias. Acrescentem-se a tudo isto um povo determinado, trabalhador e pacífico.

Ritter (a direita) fez uma importante convocação (Foto: Divulgação)
Ritter (a direita) fez uma importante convocação (Foto: Divulgação)

Porém, infelizmente, tem um universo político e três poderes que vivem às custas do que sugam da Nação, por meio de salários astronômicos, regalias faraônicas e corrupção que levaram o país à falência e aos homens e mulheres de bem a descrença nas instituições, inclusive na política, uma ciência humana que deveria promover o ser humano, social e economicamente. Ressalvem-se as pouquíssimas e honrosas exceções.

E esta ojeriza à instituição política não é bom em nenhum país democrático (ou que se diz democrático). Ao não preencher espaços eletivos nos poderes Executivo e Legislativo, o homem e a mulher de bem deixam espaço para os malandros que do Estado querem apenas tirar de forma ilícita, como vem ocorrendo.

Oportuno o chamado, neste sentido, do ex-presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho do Tocantins (Aprosoja-TO), Ruben Ritter, durante seu discurso por ocasião da solenidade oficial da colheita de grãos no Tocantins, no dia 15 passado, em Caseara, região oeste do Tocantins.

– Eu convoco aos senhores a um novo desafio: é possível, é necessário que nós participemos dos parlamentos, nós temos que conversar sobre isto e eu estendo este convite aos orizicultores, aos pecuaristas, aos comerciantes. É passada hora de as pessoas que trabalham se unirem, falarem de política e assumirem a sua posição, não no sentido de confronto, mas no sentido de contribuir para que este pais reencontre o caminho de grandeza que todos nós merecemos – chamou.

No agronegócio e na agricultura familiar este chamamento é de uma importância muito grande. Os dois segmentos que se destacam como de suma importância para a economia do país e para a segurança alimentar universal, estão sem uma representação atuante nos parlamentos estaduais (assembleias e câmaras municipais) e no federal. O que temos neles são líderes mais preocupados com projetos pessoais, de grupos e políticos, que com os problemas e os destinos da Nação brasileira. Mais uma vez, evocamos as raríssimas exceções.

É o momento das duas categorias buscarem posições de destaque entre aqueles que decidem o presente, o futuro do Brasil, melhorando e colocando-o nos seus verdadeiros trilhos.

*É editor deste site e da revista Cerrado Rural Agronegócios e promotor dos eventos Piscishow e Avisuleite

 

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY