SHARE
Produtores em reunião na Seagro, em Palmas (Foto: Ascom/Seagro)
Produtores em reunião na Seagro, em Palmas (Foto: Ascom/Seagro)

Da Redação*

A Câmara Setorial da Ovinocaprinocultura, composta por produtores de ovinos e caprinos e representantes de entidades, elegeu, na tarde desta terça-feira, 26, o produtor, Gerson Dala Costa para presidir, nos próximos dois anos, a classe produtiva dos criadores de ovinos e caprinos no Tocantins. Na reunião, foram apontados os avanços conquistados nos últimos três anos e as perspectivas de crescimento da cadeia produtiva para os próximos anos.

Na ocasião, a diretora de políticas para pecuária da Secretaria do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária (Seagro), Érika Jardim, fez uma explanação sobre as conquistas alcançadas nos últimos três anos. Entre as quais estão: criação da câmara setorial da ovinocaprinocultura; a realização de um diagnóstico apontando as principais demandas para o desenvolvimento da cadeia produtiva; adesão ao Sistema Brasileiro de Inspeção (SISBI); capacitação técnica, aliado a construção dos 8 (oito) frigoríficos que estão sendo construídos no Estado, os quais podem ser adaptados para abate de ovinos e caprinos.

Entre as principais propostas do diagnósticos a serem realizadas constam: formalização do abate; melhoria no sistema de informações; criação de linhas de créditos adaptadas a realidades para os produtores de ovinos e caprinos e a continuidade de qualificação dos produtores.

– A criação de ovinos e caprinos agrega elementos essenciais, como exemplo, o envolvimento dos membros da família na condução e manejo do sistema. No entanto para ampliar seu desenvolvimento, é necessária a perspectiva de crescimento de rebanhos aliado à formalização de abate, a padronização de produto de acordo com a exigência do mercado e a comercialização obedecendo às normas sanitárias vigentes – disse a diretora de políticas para pecuária da Seagro.

Dados

O Tocantins atualmente possui um rebanho de 135 mil cabeças de ovinos, crescendo acima da média brasileira: mais de 100% entre 2005 e 2015, e 24 mil de caprinos, rebanho caprino praticamente estabilizado, com crescimento de 9% no mesmo período, espalhados pelo estado e criados nas mesmas condições dos rebanhos do país.

*Fonte: Ascom/Seagro, com edição de Cerrado Rural Agronegócios

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY