Da Redação*

Após quase uma década de estudos e negociações, a avicultura do Brasil passa a contar, a partir desta terça-feira, 29, com um seguro contra eventos sanitários.  O seguro é o primeiro do mundo, e o Mato Grosso é o primeiro estado brasileiro a aderir a iniciativa.  A assinatura do seguro aconteceu nesta terça-feira, em solenidade com a presença da Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, em Brasília (DF).

Seguro Avícola. Programa de Seguro Sanitário Contra. Doenças Avícolas.

Além da Ministra, estiveram na ocasião o Secretário-executivo, Marcos Montes,  o Secretário de Defesa Agropecuária, José Guilherme Tollstadius Leal, o Diretor de Relações Institucionais da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) e um dos idealizadores do seguro, Ariel Antônio Mendes, o presidente da Associação Mato-grossense de Avicultura (AMAV), Tarcísio Choroeter, entre outros.

Criado com o objetivo de garantir fundos privados de defesa sanitária para indenização, o termo de seguro assinado pela ABPA e pela AMAV beneficiará os produtores mato-grossenses frente a eventuais focos de Influenza Aviária e Doença de Newcastle.

Único entre os grandes produtores a nunca registrar Influenza Aviária em seu território, o Brasil terá no seguro, segundo Mendes, um instrumento de transferência de riscos dos produtores, reduzindo as contribuições e incrementando a capacidade financeira dos fundos indenizatórios hoje existentes no Brasil para ocorrências sanitárias.

– A existência de recursos com este objetivo é fundamental para a rápida recomposição do polo de produção em eventuais ocorrências sanitárias.  Também é importante para reforçar as boas práticas sanitária, além dos protocolos de prevenção.  Após a adesão do Mato Grosso, outros estados deverão aderir ao seguro, que é válido para todo o Brasil – ressalta Mendes.

SOBRE A ABPA

A ABPA é a representação político-institucional da avicultura e da suinocultura do Brasil. Congrega mais de 140 empresas e entidades dos vários elos da avicultura e da suinocultura do Brasil, responsáveis por uma pauta exportadora superior a US$ 8 bilhões.

*Fonte: Ascom/ABPA, com edição de Cerrado Rural Agronegócios