SHARE
Francisco Turra, presidente da ABPA (Foto: ABPA)
Francisco Turra, presidente da ABPA (Foto: ABPA)

Da Redação*

Com o objetivo de reduzir riscos ao setor produtivo brasileiro, a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) reunirá representantes da cadeia produtiva para a criação de um grupo de trabalho voltado para o monitoramento e prevenção à Peste Suína Africana.

O trabalho, que já estava na pauta de ações da associação, agora será incorporado em um grupo especial que contará com a participação de representações regionais do setor produtivo e órgãos de pesquisa atuantes na suinocultura nacional.

O foco principal estará na avaliação de estratégias adotadas internamente e análise de erros e acertos cometidos por países que enfrentaram o problema, sob a perspectiva de atuação do setor privado.

Assim como outro grupo da ABPA com o mesmo princípio – o Grupo Especial de Prevenção à Influenza Aviária (GEPIA) – o Grupo Especial de Prevenção à Peste Suína Africana (GEPESA) trabalhará vinculado ao Conselho Diretivo da associação.

– A interação entre as várias esferas sociais da cadeia produtiva será importante para tornar harmônico o entendimento de iniciativas e o compartilhamento de responsabilidades neste trabalho de prevenção.  O Brasil é livre da enfermidade e esta é uma vantagem competitiva no comércio internacional que não mediremos esforços para preservar – ressalta o presidente da ABPA, Francisco Turra.

*Fonte: Ascom/ABPA

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY