SHARE
o destaque absoluto foi o touro Ultron da 2L, vendido por R$ 72 mil (Foto: Grupo Adir)
o destaque absoluto foi o touro Ultron da 2L, vendido por R$ 72 mil (Foto: Grupo Adir)

Da Redação*

Com a venda de 51 touros da raça Nelore, o remate anual de reprodutores do Grupo Adir movimentou R$ 838.800,00, em um dos leilões mais aguardados do estado de Goiás. Realizado na Fazenda Barreiro Grande, em Nova Crixás, no dia 13 de outubro, com a possibilidade de financiamento das compras pelo Banco do Brasil, o evento reuniu pecuaristas de todo o país.

Com média geral de R$ 16.477,06, o destaque absoluto foi o touro Ultron da 2L, vendido por R$ 72 mil. Ele é filho de Visual da Zeb VR, uma das linhagens mais procuradas pelo mercado no Grupo Adir. E não por acaso, Visual é eficiente para “refrescar” qualquer acasalamento existente e não existe genética dele em outro plantel, atualmente.

– Comprar um reprodutor Adir significa ter um animal que acasala com qualquer linhagem ou raça, seja em plantel de gado puro ou rebanho comercial –  resume o diretor do grupo, Paulo Leonel.

Além da genealogia diferenciada, a avaliação de carcaça do jovem reprodutor também impressiona: 14,51 cm2 de AOL por 100 kg e 3,24% de marmoreio.

Ou seja, os números indicam que Ultron produz carne macia e saborosa, além de possuir índice de espessura de gordura subcutânea superior à média para sua idade, atributo importante aos frigoríficos. Destaque também para os filhos de Opus FIV da Brumado, com 12 animais vendidos por R$ 187.200,00 – média de R$ 15.600,00.

– É o pecuarista quem decide onde vai usar a genética Adir. Se ele quer gado para pista, pasto, melhoramento genético ou produção de gado de corte, a solução é a mesma. Não existem dois Nelores, a raça é uma só – explica Leonel.

O Grupo Adir prioriza a produção de animais adaptados, padronizados, com aprumos corretos, dorso plano, racial preservado e baixo peso ao nascer, construídos a partir de linhagens POI preservadas.

Genética que agrega valor

A genética Adir tem sido uma forma de pecuaristas faturarem mais no abate do gado de corte. O Grupo coordena e abastece um recém-criado Programa de Qualidade de Carne Nelore do Frigorífico Masterboi, que possui sede em Recife (PE) e plantas no Pará e Tocantins.

– Há um público que exige produtos de qualidade superior e acreditamos que a parceria com o Grupo Adir nos ajudará atender a essa demanda – afirma Amaro Rodero, diretor do grupo Masterboi.

Em Alagoas, a parceria é com a Cooperativa do Agronegócio do Boi (Cooperboi), que possui 52 cooperados.

– Nossa meta principal é abastecer a gastronomia local com cortes mais tenros, macios e suculentos –  ressalta José Ronaldo, diretor da Cooperboi, que aprovou o projeto de avaliação de carcaça realizado pelo Grupo Adir.

Financiamento BB

A edição 2018 do Leilão do Adir, em 3 de agosto, marcou o início do convênio do Grupo com o Banco do Brasil. Recém-lançado, o Programa de Melhoramento Genético Banco do Brasil e Adir oferece taxas a partir de 4,6% e até dez anos para pagar.

– O Banco do Brasil é o maior banco da América Latina e líder mundial em crédito para o agronegócio. Não podemos associar uma marca tão valiosa quanto à nossa a outra que não seja do porte do Grupo Adir. Não temos dúvidas de que o programa será um sucesso – frisa o diretor de Agronegócio do Banco do Brasil, Marco Túlio Moraes da Costa.

Comprovação no gancho

Além de toda a preocupação com caracterização racial e conformação desejada para condições de campo, esculpida pelo patriarca Adir do Carmo Leonel, há 58 anos, o Grupo Adir tem investido pesado nos abates técnicos por touro, para reunir genética pioneira e carcaça moderna em um mesmo animal.

O projeto iniciado em outubro de 2014 é coordenado pelo professor Sérgio Pflanzer, da Faculdade de Engenharia de Alimentos da Unicamp (Campinas/SP). O trabalho, único no País, já provou os touros Jiandut FIV (linhagem Golias), OPUS FIV do Brumado (linhagem Jeru), Naman FIV da 2L (linhagem Visual), Jallad FIV da 2L (Golias) e Palluk POI FIV da 2L, também de linhagem Golias.

Os resultados mostram novilhos Nelore abatidos com peso médio de 20@, rendimento de carcaça de até 59% e espessura de gordura máxima de 6 mm, suficientes para os credenciar a qualquer programa de qualidade de carne bovina.

A iniciativa é coroada por avaliações de carcaça in vivo por ultrassonografia, promovidas por Liliane Suguisawa, da DGT Brasil, que revelaram o touro Nelore número um em marmoreio do Brasil: Quanupur da 2L, que deixou para trás nada menos que outros 500 mil animais.

*Fonte: Assessoria de imprensa do grupo, com edição de Cerrado Rural Agronegócios

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY