SHARE
O foco é a restauração ecológica-econômica em áreas degradadas e alteradas no Tocantins (Foto: Ascom/Ruraltins)
O foco é a restauração ecológica-econômica em áreas degradadas e alteradas no Tocantins (Foto: Ascom/Ruraltins)

*Da Redação

O projeto Restaura-TO, executado pelo Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins),  vem desenvolvendo atividades desde 2017, em conjunto com diversas instituições. O foco é a restauração ecológica-econômica em áreas degradadas e alteradas no Tocantins, por meio do uso racional da flora e da cobertura de vegetação nativa.

Fortalecimento e a continuidade das ações é o que visa o projeto, com uma proposta, obedecendo critérios de edital de concorrência pública, que foi  encaminhada à Petrobrás, nesta quarta-feira, 13, pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Desenvolvimento (Faped). A proposta visa recursos para ampliar e intensificar as atividades voltadas para a restauração, consorciando espécies arbóreas nativas e anuais agrícolas em áreas degradadas na parte central do Estado. O Ruraltins e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) são os principais parceiros para realização das atividades nas comunidades rurais.

O recurso estimado para execução das metas propostas no plano de trabalho do projeto Restaura-TO gira em torno de R$ 900 mil. Esse recurso possibilitará a ampliação das atividades que beneficiarão aproximadamente 20 hectares de áreas degradadas ou alteradas, como também, a ampliação de banco de germoplasma (coleta, armazenamento e beneficiamento de sementes), que já conta com mais de 500 mil sementes de 60 espécies arbóreas, instalação, manutenção e monitoramento de 20 Módulos Demonstrativos de Restauração (MDR), além da capacitação de 30 produtores e 30 técnicos por meio de cursos de produção de mudas, plantio e manutenção das áreas, monitoramento das ações. A proposta prevê a aquisição de bens (caminhonete e  tratorito) e equipamentos que fortalecerão as ações de assistência técnica e extensão rural na região central do Estado.

Para o presidente do Ruraltins, Sebastião Pelizari Júnior, o órgão tem um papel fundamental diante das questões ambientais do Estado. Para desenvolver as atividades, a instituição conta com profissionais qualificados.

– Incentivar os agricultores e buscar alternativas que favoreçam a proteção ambiental são deveres de todos nós. No Ruraltins, contamos com um setor exclusivo, composto por diversos profissionais, doutores e mestres na área ambiental, que preocupados com as questões de preservação e recuperação do nosso bioma, vêm desenvolvendo importantes atividades. Vamos dar todo apoio necessário para execução das ações propostas – frisa o presidente.

De acordo com o engenheiro florestal do Ruraltins e coordenador do projeto Restaura-TO, Ricardo Flores Haidar, a proposta foi elaborada para atender demandas de diversas instituições estaduais, federais e internacionais, que atuam na cadeia de atividades de restauração ecológica e produtiva no estado do Tocantins.

– O propósito maior do projeto é promover o uso racional da flora e da cobertura de vegetação nativa do Tocantins, transformando APPs [Áreas de Preservação Permanente] e RL [Reserva Legal], degradadas e alteradas em zonas estratégicas, para conservação dos recursos naturais e economia do Estado. Partindo da premissa de que a implantação do PRA [Programa de Regularização Ambiental], após a validação do CAR [Cadastro Ambiental Rural], ampliará a demanda de restauração da cobertura vegetal e da flora nativa em APP e RL degradadas e alteradas – enfatiza Ricardo.

Além da parceria com a Petrobrás, outras articulações interinstitucionais também foram feitas com instituições que atuam diretamente na assistência, na extensão e nas políticas públicas voltadas aos produtores rurais, como Universidade Estadual do Tocantins (Unitins); Universidade Federal do Tocantins (UFT); Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária (Seagro); Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh); Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins); Secretaria de Estado do Planejamento e Orçamento (Seplan); Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – Florestas e Serviço Florestal Brasileiro (Senar); Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e  a Conservação Internacional (CI) no Brasil.

Ações realizadas em 2017

Por meio de parcerias durante o período de seca do ano de 2017 (de junho a novembro), foi constituído amplo banco de germoplasma, que se encontra no Ruraltins, sede central em Palmas, somando mais de 1 milhão de sementes de 60 espécies. Além disso, foram instalados Módulos Demonstrativos de Restauração em 12 áreas, sendo que, durante a Agrotins 2018, cerca de 200 mil sementes de 20 espécies  foram doadas para 400 produtores rurais de 80 municípios do Tocantins. No mesmo sentido, atividades de formação foram apoiadas, como o curso “Adequação Ambiental da Propriedade Rural” e o Workshop: “Discutindo a implantação do Programa de Regularização Ambiental (PRA) no estado do Tocantins”.

*Fonte: Ascom/Ruraltins, com edição de Cerrado Rural Agronegócios

 

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY