Da Redação*

Extensionistas do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), em reunião com representantes da ONG holandesa Black Jaguar Foundation, com sede em São Paulo, conheceram o projeto Corredor de Biodiversidade do Rio Araguaia, o maior do mundo.

A meta é chegar em 600 hectares de restauração ecológica ao longo do corredor de biodiversidade do Rio Araguaia (Foto: Ruraltins)
A meta é chegar em 600 hectares de restauração ecológica ao longo do corredor de biodiversidade do Rio Araguaia (Foto: Ruraltins)

Localizado na região de Cerrado, ele tem 2.600 km, começando no Parque Nacional das Emas, em Goiás, até a foz do rio Tocantins, em Belém (PA). No Tocantins a ação tem por objetivo restaurar áreas degradadas existentes em 23 municípios tocantinenses, já mapeados, dentro do corredor.

De acordo com o coordenador do projeto, o engenheiro florestal, Dimitrio Schievenin, a ideia é firmar parceria com o Ruraltins, no sentido de contribuir com as metas de restauração ecológica.

– O Ruraltins seria uma ponte entre os proprietários para unirmos interesses coletivos. A fundação apoia os proprietários rurais a cumprirem as normas do Código Florestal por meio da restauração ecológica, e o projeto visa à recuperação das Áreas de Preservação Permanente (APP) e proteção da Reserva Legal. A ONG custeia toda a parte de insumos e mudas. Em contra partida, o proprietário fornece a mão de obra e algum equipamento que ele tiver disponível na propriedade para fazer o replantio de floresta – explicou.

O engenheiro florestal e Coordenador de Campo, Carlos Eduardo Batista de Oliveira, ressaltou que a ONG não tem um valor previsto de investimentos, mas possue metas a longo prazo, que precisam ser atingidas. Para isso, um termo de cooperação técnica deverá ser apresentado pelo Ruraltins.

– Nossa meta é chegar em 600 hectares de restauração ecológica ao longo do corredor de biodiversidade do Rio Araguaia. A intenção é que o Ruraltins apresente um termo de cooperação técnica, financeira e de extensão rural, para atingirmos juntos os objetivos – afirmou o engenheiro florestal.

O diretor de Assistência Técnica e Extensão Rural, do Ruraltins, Kin Carlos Gomides, destacou que o órgão pretende unir as necessidades do agricultor em todos os campos, com a assistência técnica efetiva, acompanhamento, monitoramento e levantamento de indicadores, que possam servir de base para futuras políticas públicas que envolvam esses agentes e atores.

– O encontro debateu possíveis parcerias entre a ONG e Ruraltins. Essa foi a primeira discussão, pois a proposta é construir um projeto que envolva todas as necessidades de assistência  técnica e extensão rural que contemple o desenvolvimento do Ruraltins com esse projeto, e que  efetivamente o produto final seja a melhor conservação das matas ciliares, do vale do Araguaia – disse.

Encaminhamento

Ao final da reunião, ocorrida nesta segunda-feira, 10, ficou acertado que a ONG holandesa encaminhará propostas a serem analisadas em parceria com a gestão do Ruraltins, para a construção coletiva de um projeto que possa ser efetivado.

*Fonte: Ascom/Ruraltins