SHARE
Aulas práticas do curso no norte do Tocantins... (Foto: Embrapa)
Aulas práticas do curso no norte do Tocantins… (Foto: Embrapa)

Da Embrapa Pesca e Aquicultura*

Rondônia, o maior produtor de peixes amazônicos do Brasil, receberá a visita de analistas da Embrapa Pesca e Aquicultura (Palmas-TO). É que entre os dias 27 e 29 deste mês, a unidade de pesquisa promoverá o Curso de Piscicultura em Rondônia, para técnicos da Emater daquele estado e piscicultores contemplados com Unidade de Referência Tecnológica (URT) ligados ao projeto Peixe Mais Amazônia.  A ideia é oferecer informações técnicas para produção do tambaqui. O curso é coordenado pelos analistas Raimundo Rocha e Marcela Mataveli e conta com o apoio da Emater de Rondônia, Secretaria de Agricultura e Secretaria de Estado de Planejamento, Orçamento e Gestão (Sepog) daquele estado.

Marcela Mataveli destaca a importância do treinamento.

– Este curso será importante  para apresentar como o uso de  aeradores em viveiros escavados pode contribuir para o aumento da produção de tambaqui – afirma.

Ela ressalta que a tecnologia –  desenvolvida pela Embrapa Amazônia Ocidental – será validada em uma Unidade de Referência Tecnológica do estado e apresentada posteriormente aos produtores em dia de campo.

É o segundo treinamento em tambaqui que a Embrapa Pesca e Aquicultura promove no mês de março. Entre os últimos dias 12 e 14, a equipe da Embrapa coordenou um curso sobre Produção de Tambaqui em Viveiros Escavados e Novas Tecnologias na região do Bico do Papagaio, norte do Tocantins. Assim como o curso em Rondônia, o treinamento é parte do Projeto Peixe Mais, que visa transferir tecnologia para a cadeia produtiva de produtores de peixes nativos. O objetivo é formar técnicos multiplicadores em boas práticas de cultivo de tambaqui em viveiros escavados para aumentar a produção de pescado dos produtores.

Participaram do curso 25 técnicos do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), seis técnicos do Sebrae e dois técnicos da Prefeitura de Araguaína, além de piscicultores parceiros do projeto.

Entre os temas que serão abordados no curso em Rondônia estão: panorama da cadeia produtiva de tambaqui; gestão de custos da propriedade de piscicultura, instrução normativa para licenciamento de piscicultura, monitoramento da qualidade da água, entre outros. A capacitação será ministrada em dois momentos, sendo o primeiro apresentando conteúdos teóricos, no auditório do Sepog, em Ouro Preto do Oeste, e a parte prática será realizada no dia de campo, em uma unidade de referência tecnológica parceira da Embrapa.

Programação

27 de março
09h – Abertura
09h20 – Apresentação do projeto – Marcela Mataveli
09h40 – Panorama da cadeia produtiva de tambaqui em Rondônia – Mª Mirtes Pinheiro
10h – Discussão
10h30 – Gestão de Custos da Propriedade de Piscicultura – Clodoaldo de Oliveira Freitas
10h40 – Discussão
11h – Instrução Normativa licenciamento Piscicultura – Mª Mirtes Pinheiro
11h30 – Discussão
12h – Intervalo para o almoço
14h – Relatório de Monitoramento de Qualidade de água – Mª Mirtes Pinheiro
14h40 – Discussão
15h – Outorga de Direto de uso de recursos hídricos superficiais – Mª Mirtes Pinheiro
15h40 – Discussão
16h – Intervalo para coffee break
16h20 – Discussão
16h40 – Segurança de barragem – Mª Mirtes Pinheiro
18h – Encerramento.

... aulas teóricas na mesma região (Foto: Embrapa)
… aulas teóricas na mesma região (Foto: Embrapa)

28 de março
08h – Sistemas de cultivo (extensivo,  semi-intensivo e intensivo em viveiros escavados com aeração) – Roger Crescêncio.
08h40 – Discussão
09h – Principais enfermidades na piscicultura e manejo sanitário – Prof. Bruna Rafaela Caetano nunes Pazdiorá
09h40 – Discussão
10h – Intervalo  coffee break
10h20 – Preparação de viveiros, aquisição de alevinos, transporte e povoamento – Roger Crescêncio.
11h – Manejo alimentar e nutrição – Roger Crescêncio
11h40 – Discussão
12h – Intervalo para o almoço
14h – Monitoramento de qualidade da água, análise de água,  inter-relações dos parâmetros de qualidade de água e recomendações técnicas– Roger Crescêncio
15h – Discussão
15h20 – Tratamento de efluentes – Roger Crescêncio
16h – Intervalo para coffee break
16h20 – Discussão
16h40 – Despesca, conservação e beneficiamento – Roger
17h40 – Discussão
18h – Encerramento

29 de março
08h – Aula Prática
Estação 1 – Biometria, estimativa de biomassa do viveiro e cálculo da quantidade de ração – Roger
Estação 2 – Monitoramento da qualidade água e recomendações de manejo – Marcela.

*Com edição de Cerrado Rural Agronegócios

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY