Da Redação*

Em nota, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), informou que as  autoridades brasileiras iniciaram processo de averiguação e investigação interna e estão em contato permanente com suas contrapartes russas, de modo a evitar solução de continuidade.

Conforme o Mapa, no Brasil, o limite máximo permitido é de 10 ppm (partes por milhão) (Foto: Antônio Oliveira/Cerrado Rural Agronegócios)
Conforme o Mapa, no Brasil, o limite máximo permitido é de 10 ppm (partes por milhão) (Foto: Antônio Oliveira/Cerrado Rural Agronegócios)

A nota é uma resposta as autoridades russas que, nesta semana, comunicaram a detecção de traços de glifosato em carregamento de soja proveniente do Brasil. Os níveis detectados são mais de cem vezes inferiores aos limites acordados no Codex Alimentarius e não constituem, portanto, risco à saúde.

Conforme o Mapa, no Brasil, o limite máximo permitido é de 10 ppm (partes por milhão), valor mais rigoroso que o definido no Codex Alimentarius (20 ppm), mas superior ao estabelecido pelas autoridades russas, que é de 0,15 ppm.

As autoridades brasileiras iniciaram processo de averiguação e investigação interna e estão em contato permanente com suas contrapartes russas, de modo a evitar solução de continuidade.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento reitera seu compromisso com a segurança alimentar e a qualidade dos alimentos produzidos e exportados pelo Brasil.