Todo início de safra e escoamento da produção é assim no oeste da Bahia: cadê as estradas? Não tem estradas, o governo da Bahia, em relação ao potencial produtivo da região só tem retórica.

Todo ano é um Deus nos acuda. (Foto: Evanir Maia)
Todo ano é um Deus nos acuda. (Foto: Evanir Maia)

Contudo, sempre cansados  – por que não dizer também desiludidos da ação do governo? – de ver parte da produção ficar, literalmente, no meio do caminho, devido às péssimas condições das estradas, por onde são escoadas a soja, o milho e o algodão produzidos na região, os agricultores rurais do oeste da Bahia uniram força e deflagraram, por conta própria, a Operação Tapa-Buracos na BA-459 (Anel da Soja).

Aproximadamente 10 quilômetros da rodovia, no trecho próximo ao entroncamento com a BA-458, receberam os serviços de recuperação, onde foram gastos cerca de 28 toneladas de massa asfáltica. A obra, orçada em R$ 9 mil, foi financiada com recursos do Programa de Desenvolvimento do Agronegócio (Prodeagro), e é fruto de uma parceria com os próprios produtores, que contribuíram com a doação de equipamentos para transporte da matéria-prima e execução dos serviços, além de pagar a mão de obra dos operários.

O Objetivo da ação é facilitar o escoamento da produção e, consequentemente, reduzir os prejuízos da categoria. Nos próximos dias, outra estrada será contemplada com o mesmo tipo de melhorias. Desta vez, a BA-460, que também integra o complexo do Anel da Soja. O trecho que receberá a operação tapa-buracos é o seguimento que liga o município de Luís Eduardo Magalhães à comunidade de Placas.

(Com informações da Ascom/Aiba)