SHARE
Semeados por pulares ou pelo poder público, os ipês dão um belo visual à cidade (Foto: Divulgação)
Semeados por pulares ou pelo poder público, os ipês dão um belo visual à cidade (Foto: Divulgação)

Da Redação*

Após 15 dias de coleta de sementes de espécies nativas do Cerrado, bioma no qual se inclui o município de Barreiras e região, estudantes e populares passaram esta manhã de quinta-feira, 13,  fazendo semeadura. A ação faz parte da programação da Semana do Cerrado e acontece até nesta sexta-feira, 14,  no Viveiro Municipal, localizado dentro do Parque de Exposições.

A sementes são de de jacarandá e de ipês amarelo, lilás, rosa e o branco, considerado o mais raro na região.  Desde a colheita das sementes até o processo de semeadura, a equipe da Secretaria de Meio Ambiente e Turismo contou com o apoio dos estudantes do 8º semestre do curso de Agronomia da Faculdade São Francisco de Barreiras – FASB, dos estudantes do Programa Despertar, do SENAR, equipe da brigada PrevFogo e Secretaria de Agricultura.

Em média, mais de três mil sementes estão sendo plantadas e posteriormente serão distribuídas para a população.

– Os Ipês são os mais procurados pela população aqui no Viveiro Municipal, devido à beleza e a variedade em cores vivas. Com essa ação conjunta podemos mostrar para a população que no Viveiro Municipal todos também podem contribuir de alguma forma, por isso a Secretaria de Meio Ambiente faz a distribuição das mudas de forma gratuita, além da arborização nas praças e avenidas. Consideramos muito importante a sociedade fazer parte desse ciclo de produção das mudas – disse o coordenador de educação ambiental e sustentabilidade, Ronaldo Ursulino.

Para o professor e coordenador do curso de Agronomia da FASB, essa participação dos acadêmicos, traz além da consciência em cuidar do meio ambiente, a experiência e aprendizado na prática, mostrando como é simples fazer uma muda de planta nativa, contribuindo dessa forma, para o reflorestamento e beleza do município.

Foto: Ascom/Barreiras)
Foto: Ascom/Barreiras)

– Esse é um processo que ajuda o acadêmico a ter conhecimento na prática do que é aprendido em sala de aula. É tão bonito passar em alguns pontos da cidade e ver os ipês e jacarandás floridos, além de saber reconhecer as sementes, fazer as mudas e depois plantá-las. O simples ato de estarmos juntos fazendo essas mudas, nos proporciona o sentimento de poder fazer parte das ações de revitalização do cerrado, bioma tão importante e diversificado – relatou o professor Jorge Junior.

Recuperação de nascente

Na última segunda-feira, 11, Dia Nacional do Cerrado, as equipes das secretarias municipais de Meio Ambiente e Agricultura, Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba) e Prevfogo, realizaram a recuperação de uma nascente na comunidade de Boqueirão do Cirico, que fica cerca de 20 km da cidade.

Ainda segundo o coordenador de Educação Ambiental e Sustentabilidade, no local foi feito um cercado de 200 metros quadrados em torno da nascente para evitar o assoreamento causado pelo excesso de areia próximo ao local e acesso de animais, minimizando o risco do pisoteamento.

– Além de mil metros de arames, utilizamos também 54 estacas de eucaliptos tratados e tivemos ajuda dos parceiros e dos moradores. Serão recuperados até o final desse ano mais 19 nascentes, projeto que tem a parceria da Abapa e Aiba. Essas ações foram propostas para essa Semana do Cerrado e entre tantos benefícios, estamos fazendo o processo educativo para que as pessoas se conscientizem da importância da água e a preservação dessas nascentes – frisou Ronaldo.

Para encerrar a Semana do Cerrado, a equipe da SEMATUR realiza no próximo sábado, 15, o mutirão de limpeza no Rio Grande, no trecho entre o Cais até a Ponte Ciro Pedrosa a partir das 08h.

*Fonte: Dicom/Barreiras, com edição de Cerrado Rural Agronegócios

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY