SOJICULTURA – Inscrições abertas para o 11º Desafio Nacional de Máxima Produtividade...

SOJICULTURA – Inscrições abertas para o 11º Desafio Nacional de Máxima Produtividade de Soja

SHARE

desafiosojaDa Redação*

Informação e conhecimento são fundamentais para que o sojicultor possa atingir novos patamares de produção de soja com rentabilidade e sustentabilidade dentro de uma mesma área.  É com esse objetivo que o Comitê Estratégico Soja Brasil (CESB), abriu inscrições para a 11ª edição do Desafio Nacional de Máxima Produtividade de Soja.

– É uma oportunidade de compartilhar conhecimento, elaborar novas estratégias e fazer com que o produtor supere os limites no campo – explica Nery Ribas, presidente da entidade.

As inscrições para o Desafio podem ser realizadas através do site do Comitê (www.cesbrasil.org.br) até janeiro de 2019. O espaço destinado para as inscrições e cadastramento, também disponibiliza o manual para as inscrições e o regulamento do Desafio. As áreas inscritas devem ter entre 2,5 e 10 hectares e podem concorrer em uma das duas categorias do Desafio: plantio irrigado e não irrigado.

Para esta edição a expectativa do Comitê é de superar a marca de 5,5 mil inscrições realizadas no ano passado.

CESB e campeões da última edição (Foto: CESB)
CESB e campeões da última edição (Foto: CESB)

– O Desafio nasceu como uma fonte de inspiração para todos os sojicultores do Brasil. Nosso propulsor é a demanda crescente por alimentos no planeta. Ano a ano, os produtores rompem patamares de produtividade, o que demonstra que a rede de conhecimento estabelecida no Desafio é muito significativa – comenta Nery.

Auditorias

Quando o ponto de colheita da área inscrita se aproxima, o produtor e/ou consultor solicitam ao CESB a visita de um auditor para constatar e aferir a produtividade da área. As primeiras auditorias iniciam-se a partir segunda quinzena de janeiro, quando se tem início a colheita nas lavouras com cultivares precoces.

– É necessário muita dedicação e atenção nas auditorias, pois as condições climáticas podem influenciar no andamento desse processo, já que o excesso de chuva pode atrapalhar a colheita – explica o Dr. João Pascoalino, coordenador técnico do CESB.

Alta Produtividade

A cada nova edição do Desafio evidencia-se, mediante números obtidos pela entidade, um aumento significativo de áreas que produziram soja acima de 100 sacas por hectare (sc/ha), porém, é importante salientar que um dos objetivos do CESB é estimular não apenas picos de produtividade, mas o aumento da produtividade média de seus participantes em suas áreas de cultivo comerciais.

Essa estratégia é utilizada pela produtora Elizana Paranhos, campeã da região Sudeste do Desafio Nacional de Máxima Produtividade safra 14/15.

– Meu objetivo não se restringe apenas em atingir a marca de 122 sacas em uma gleba de 10 hectares, mas sim, aumentar em 10 sacos minha produtividade média. Participar de iniciativas como a do CESB, me ajuda a perceber o que está dando certo, não só em minha área, mas também nas áreas dos participantes do Desafio – comenta a produtora de Capão Bonito (SP).

Campeões

Na safra 2017/2018, o produtor Gabriel Bonato, de Sarandi (RS), colheu 127,01 sc/ha e se tornou o atual campeão do Desafio. O número alcançado por Bonato representa mais do que o dobro da média nacional de produção de soja em áreas comerciais. Também no ano passado, o Rio Grande do Sul foi o Estado que registrou o maior número de inscrições no evento. Dos mais de 5,5 mil participantes de todo o território nacional, 1.817 produtores gaúchos de 273 cidades participaram da disputa.

As primeiras auditorias iniciam-se a partir segunda quinzena de janeiro (Foto: Antônio Oliveira/CDI-Cerrado Rural Agronegócios)
As primeiras auditorias iniciam-se a partir segunda quinzena de janeiro (Foto: Antônio Oliveira/CDI-Cerrado Rural Agronegócios)

A somatória das áreas totais envolvidas no Desafio, chega a atingir 10% da área cultivada de Soja em nível de Brasil demonstrando a importância o interesse do sistema produtivo com esta ação desenvolvida pelo CESB.

– Conseguimos demonstrar que é possível produzir mais, com mais eficiência. Isso fixa a família do produtor no campo, gera mais alimento no mesmo espaço de terra, já que diminui a abertura de novas áreas – comenta Ribas.

Sobre o CESB

O CESB é uma entidade sem fins lucrativos, formada por profissionais e pesquisadores de diversas áreas, que se uniram para trabalhar estrategicamente e utilizar os conhecimentos adquiridos nas suas respectivas carreiras e vivências, em prol da sojicultura brasileira. O CESB é qualificado como uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), nos termos da Lei n° 9.790, de 23 de março de 1999, conforme decisão proferida pelo Ministério da Justiça, publicada no Diário Oficial da União de 04 de dezembro de 2009. Atualmente, o CESB é composto por 23 membros e 25 entidades patrocinadoras: Syngenta, BASF, Bayer, Mosaic, TMG, Jacto, Agrichem, Aprosoja MT, Corteva, Instituto Phytus, Monsanto, Produquímica Compass, Sementes Adriana, Stoller, UPL do Brasil, Timac Agro, Brasmax, FMC, Nidera Sementes, Strider, Albaugh, DataFarm, Kuhlmann, Orion e Brandt

*Fonte: Ascom da fonte, com edição de Cerrado Rural Agronegócios

 

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY