SHARE
maggi
“Produção de etanol contribuirá para garantir preço do milho”, disse Maggi (Foto: Ascom/Mapa)

A primeira fábrica de etanol de milho do país foi inaugurada na manhã desta sexta-feira, 11, em Lucas do Rio Verde (MT), com a presença do presidente Michel Temer e do ministro Blairo Maggi (Agricultura, Pecuária e Abastecimento).

– Muitas outras empresas como essas, compatíveis com o que prevê o Acordo do Clima de Paris, virão – frisou o presidente, destacando o sentido empresarial e de preservação ambiental da iniciativa, por tratar-se de combustível não poluente. Temer e Maggi participaram ainda do início da colheita de algodão no município.
A empresa, FS Bioenergia, vai produzir anualmente aproximadamente 210 milhões de litros de etanol, além de outros derivados do milho, como óleo e farelo, além de gerar 60.000 megawatts de eletricidade.
A planta de Lucas do Rio Verde utilizará tecnologia que permite remover fibra durante o processo de produção do etanol, melhorando o rendimento e eficiência, ao criar coprodutos ricos em nutrientes essenciais (proteína, gordura, minerais e vitaminas). A fábrica foi criada a partir de joint venture entre a brasileira Fiagril e a norte-americana Summit Agricultural Group, com investimentos de R$ 450 milhões.
Colheita de algodão
O ministro Blairo Maggi ressaltou a importância da produção de algodão no Mato Grosso e da indústria de etanol a partir do milho, para que o estado diversifique ainda mais a sua produção.
– De US$ 100 bilhões resultantes das exportações do agronegócio brasileiro em 2016, Mato Grosso responde por 16%, logo depois de São Paulo, responsável por 20%. Do algodão produzido no país, 67% são cultivados no Mato Grosso. O Brasil está entre os cinco maiores produtores e exportadores mundiais de algodão em pluma – pontuou o ministro.
A produção de etanol trará um benefício adicional aos agricultores, segundo Maggi, observando que a demanda da indústria ajudará a garantir preço de comercialização de milho.
Da Ascom/Mapa, com edição de Cerrado Rural

 

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY