Produtores têm perdas significativas por problemas de manejo (Foto: Divulgação)

“Grande parte de nossos parceiros produzem tambaqui há muito tempo, mas alguns desconhecem o número de famílias que eles têm e frequentemente fazem cruzamentos endogâmicos, provocando perdas na produção de alevinos por deformidade, mortalidade ou redução da velocidade de crescimento”  (Luciana Shiotsuki)

Da Embrapa Pesca e Aquicultura*

Acontece a partir desta segunda-feira, 02, e prossegue até o dia 4,  no auditório da Embrapa Pesca e Aquicultura (Palmas-TO), um encontro técnico voltado para o tambaqui. Estarão reunidos produtores e pesquisadores de quatro centros de pesquisa para abordar temas ligados à genética e reprodução da espécie. Conforme a Embrapa, atualmente cerca de 30% da produção de alevinos (filhotes) são perdidos por problemas de manejo: há falta de informações sobre o número de famílias e grau de parentesco entre os peixes, o que acaba provocando cruzamentos endogâmicos, ou seja, entre pais e filhos ou entre irmãos. O evento é fechado, voltado apenas para os produtores parceiros do projeto Amazongen.

No primeiro dia, pesquisadores da Embrapa Pesca e Aquicultura apresentarão o projeto (Foto: Elisângela Santos

No primeiro dia, pesquisadores da Embrapa Pesca e Aquicultura apresentarão o projeto, realizarão uma reunião técnica sobre reprodução de tambaqui e vão capacitar os produtores. A ideia é levantar informações sobre as técnicas utilizadas pelos piscicultores na reprodução do tambaqui. Já a capacitação visa ensinar como coletar dados que servirão para elaboração de índices reprodutivos que serão utilizados no gerenciamento do plantel e para o software que está sendo desenvolvido no projeto.

No dia seguinte, está previsto um treinamento para utilização de informações de parentesco visando à otimização de sistemas de acasalamentos para produção de alevinos, com o pesquisador da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, Alexandre Caetano. Devem comparecer às capacitações 15 representantes dos polos produtivos de alevinos de tambaqui dos estados de Rondônia, Amazonas e Tocantins.

O treinamento é uma das ações do projeto Amazongen, financiado pelo Fundo Amazônia, que é voltado para a transferência de tecnologia. Segundo a pesquisadora da Embrapa Pesca e Aquicultura, Luciana Shiotsuki, inicialmente foi previsto realizar o treinamento em cada polo produtivo, como Rondônia (estado com maior produção), Amazonas (maior consumidor de tambaqui) e uma capacitação no Tocantins, sede do projeto.

– Mas chegamos à conclusão de que seria mais interessante trazer os parceiros desses estados para cá, para que eles participassem juntos desse treinamento e pudessem discutir algumas ações, interagir entre si e dar sugestões para o software que estamos desenvolvendo para controle zootécnico de reprodução. A ideia é que seja uma construção participativa – destaca ela.

O projeto visa criar três núcleos satélites, que consistem na organização dos planteis de produtores de tambaqui, com a implementação de controles para futuramente gerar relatórios que vão auxiliar no momento da reprodução.

“Ferramentas genômicas para certificação e gestão de matrizes e resultados parciais da qualificação da coleção da população base de tambaqui”

– Grande parte de nossos parceiros produzem tambaqui há muito tempo, mas alguns desconhecem o número de famílias que eles têm e frequentemente fazem cruzamentos endogâmicos, provocando perdas na produção de alevinos por deformidade, mortalidade ou redução da velocidade de crescimento – explica Luciana.

Com a capacitação, a ideia é que os produtores adotem controles zootécnicos para tornarem-se núcleos satélites. Ao final do projeto, eles poderão iniciar um programa de melhoramento genético ou receber material genético da Embrapa para a realização de testes de desempenho. Participam do Amazongen os centros de pesquisa da Embrapa Pesca e Aquicultura, Recursos Genéticos e Biotecnologia, Amazônia Ocidental e Rondônia.

No dia 04 os produtores conhecerão o novo serviço de identificação de pureza das matrizes no workshop “Ferramentas genômicas para certificação e gestão de matrizes e resultados parciais da qualificação da coleção da população base de tambaqui”. A informação é fundamental para o bom desempenho no momento da reprodução e será gerada por meio de ferramentas genômicas desenvolvidas pela Embrapa. Participarão do workshop representantes de associações de aquicultores do Mato Grosso, Roraima, Amazonas e a Associação Brasileira da Piscicultura PeixeBR.

*Com edição de Cerrado Rural Agronegócios