SHARE
Barracas oferecerão mais conforto e higiene (Foto: Secom/Palmas)
Barracas oferecerão mais conforto e higiene (Foto: Secom/Palmas)

Da Redação*

Os apreciadores de um dos pratos mais apreciados na região Norte do Brasil, principalmente no Tocantins e Maranhão – o chambari -, terão mais conforto na hora de degustar esta parte que não é nobre no corte do boi,  mas um dos grandes prazeres de “bregas e chics”. Em Palmas, capital do Tocantins, os estabelecimentos que o preparam e o comercializam, estão dispersos pela cidade, principalmente sob as frondosas copas das faveiras de bolota, árvore típica do Cerrado e um dos símbolos de Palmas.

É que a prefeitura de Palmas, elaborou um projeto  arquitetônico para abrigar esses comerciantes em contêineres adaptados com áreas de convivência planejadas. O projeto proposto para regularização e valorização do comércio em Palmas do chambari, prato popular e já intitulado patrimônio cultural regional, prevê que os comerciantes passarão a trabalhar em contêineres adaptados com áreas de convivência planejadas, como pergolado, redário e banheiros em uma área de até 144 metros quadrados.

O projeto por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Emprego (Sedem), e vai contemplar os 25 comerciantes do prato catalogados, muitos dos quais estão trabalhando irregularmente em áreas verdes.

Todos os comerciantes já foram orientados a formalizar sua atividade como microempreendedor individual (MEI), obter todas as documentações necessárias para regularizar a atividade e iniciar a estruturação do comércio.

– Vamos regularizar a utilização do espaço público, conceder permissão para isso e alvará de funcionamento. A infraestrutura de atendimento desses comerciantes será totalmente renovada, construída por eles próprios, dentro da realidade financeira de cada um, mas dentro do projeto proposto pela Sedem e que atende as exigências da Vigilância Sanitária e Corpo de Bombeiros. Assim eles terão condições de atender de forma digna seus clientes – ressalta o secretário de Desenvolvimento Econômico e Emprego, Kariello Coelho.

A microempreendedora Andreia Pereira da Cruz que trabalha na Arse 112 (antiga 1106 Sul) aprovou a proposta.

Projeto contempla redários (Foto: Secom/Palmas)
Projeto contempla redários (Foto: Secom/Palmas)

– O projeto ficou bom. Acho que vai agradar os clientes antigos e atrair novos. Hoje minha dificuldade maior é o meu espaço que é um pouco pequeno e a falta de banheiro. No novo projeto vai ser conforto tanto para o cliente e como para a gente que está trabalhando. Já estou com toda documentação pronta, já devo começar a construir minha estrutura agora em novembro – explica Andreia.

Praça do Chambari

A grande maioria dos comerciantes permanecerá em seus atuais locais de atendimento, com exceção de quatro comerciantes que estão ocupando irregularmente área pública na Avenida JK. Para estes casos específicos, a Prefeitura de Palmas propôs a alocação de seus comércios em uma praça da Quadra ACNE 1 (antiga 104 Norte). O espaço público passará a ser chamado  Praça do Chambari, em referência a sua atividade comercial, e receberá todo o planejamento  paisagístico.

Incentivo financeiro

O investimento necessário para a adaptação das atuais barracas levantadas debaixo de árvores para os futuros contêineres ficará a cargo de cada um dos comerciantes. Como forma de incentivo, o Banco do Povo tem à disposição linha de crédito a juros de 1% ao mês com opções de parcelamento de até 24 meses para pessoas físicas e até 36 meses a pessoas jurídicas.

Palmas Tradição

A proposta de reestruturação do comércio de chambari, patrimônio cultural do Tocantins, faz parte do projeto Palmas Tradição.

O chambari é um dos pratos regionais mais apreciados em Palmas (Foto: Disp. Google)
O chambari é um dos pratos regionais mais apreciados em Palmas (Foto: Disp. Google)

– Ao invés de retirar esses pais e mães de família do seu trabalho, estamos levando mais dignidade a esses comerciantes tradicionais de Palmas. O projeto veio para valorizar e respeitar a tradição da venda do chambari há mais de 15 anos e oferecer mais qualidade de atendimento para quem exerce essa atividade, mantendo fiéis seus clientes e conquistando o gosto dos recém-chegados a Palmas –  prevê Coelho.

*Fonte: Secom/Palmas, com edição de Cerrado Rural Agronegócios

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY